floquinhos

segunda-feira, 20 de abril de 2009

Um amanhecer envolto em magia...


Acordo antes do dia amanhecer e já completamente desperta. Acendo o quebra-luz, recosto-me na cabeceira da cama, abro meu laptop, que sempre fica na mesinha ao lado e ao acessar meu blog, o maravilhoso violino de Joshua Bell preenche o espaço, enleva minha alma. Fecho meus olhos e me transporto aos doces anos de minha adolescência, as páginas da biblioteca das moças, a um acampamento cigano... A noite é de lua cheia e o espaço está pleno de romantismo, com o mesmo som de violino preenchendo as almas, mas quem o toca é Wladimir. Sua imagem projetada pela luz do luar é pura magia. Porte esbelto e altivo, profundos olhos negros, cabelos em desalinho caindo-lhe por sobre a testa, O tecido de sua bufante camisa de seda, muito branca, parece dançar ao som da musica, quando movida por um vento suave, Calças ajustadas ao corpo, botas de montaria...
Quantas vezes, ao ler essas doces histórias da biblioteca cor-de-rosa, no mundo encantado dos meus quinze anos, não sonhei ser Esmeralda, a de olhos verdes e sonhadores, que se deixava levar pela musica que a conduzia aos braços fortes de seu Wladimir... E na história desse amor havia sempre traições, despeitos, maldades, ciúme, mas no final, o amor sempre triunfava e Esmeralda vivia feliz para sempre ao lado de seu belo cigano...
E essa figura máscula, esse cigano de alma pura e caráter reto e indomável, preenchia todos os sonhos das meninas de então... Nunca viramos um cigano e certamente todas nós sofreríamos uma triste decepção ao não encontrarmos nenhum Wladimir entre os homens comuns e sem graça que formavam o bando de ciganos em passagem pela cidade...
Wladimir era o sonho, a fantasia, a magia dos quinze anos de então...
O violino de Joshua Bell continua a preencher minha alma que chora de saudade de seu Wladimir, que na verdade nada mais era do que uma fuga da realidade de uma menina sem graça mas cheia de sonhos...

Dulce Costa
No mágico amanhecer do dia vinte de abril do ano de 2009

4 comentários:

Lourdes disse...

Mas que bonito seu acordar, Dulce.
Penso que muitas adolescentes da nossa época tinham na sua cabecinha, ainda inocente, um príncipe encantado que apenas fazia parte do seu imaginário.
Quantos sonhos!...
Beijinhos

Dulce disse...

Lourdes

Eram tempos de sonhos, de principes, de sonhar... Aliás, de sonhar é sempre. Já não se espera um principe, mas sonha-se... E como...

Beijinhos

Maria Emília disse...

A verdade é que os sonhos a trouxeram até aqui. Que bom que foi ter sonhado.

Tenho um prémio para si no meu blog.
Um grande beijinho,
Maria Emília

Dulce disse...

Maria Emilia

Sim, minha amiga, sou uma incorrigivel sonhadora...

Muito obrigada pelo prêmio, Maria Emillia, muito gentil de sua parte, fico muito honrada por ter sido escolhida.

Beijinhos