floquinhos

sexta-feira, 17 de novembro de 2017

Natal chegando...


Antecipando dezembro, mês da magia trazida pelas festas natalinas, montei minha guirlanda que ja está na porta de casa, dando boas vindas a quem chegar.

terça-feira, 14 de novembro de 2017

Lemrancinhas



Preparando lembrancinhas para o Natal. Esta pequena almofada decorativa foi feira carinhosamente  em crochê filet, para uma amiga muito querida. 
Gosto muito de trabalhos manuais, e gosto, principalmente de fazê-los para oferecer às pessoas que eu quero bem. Cada detalhe, cada ponto, cada cinzelada, levam um pouco de carinho e de afeto. Sempre achei muito significativo o dedicar tempo na confecção de pequenas lembranças. E como fico muito feliz quando recebo algo que foi feito para mim, tento passar em cada pequeno trabalho que faço, um pouco da alegria que recebo. 

sexta-feira, 27 de outubro de 2017

Passatempos



Existe uma forma melhor de passar o tempo do que fazer artesanato? Sim, exite, dependendo de cada um. Alem da leitura, dos meus passeios pelas redes, das minhas palavras cruzadas (como compete a cada vovozinha), meus trabalhos manuais são uma paixão.  Fazer crochê? Sim, também. Mas descobri uma nova forma de dar asas à minha imaginação: montar guirlandas, para cada época do ano.  A primeira foi para adornar a porta de entrada para a Páscoa. Em seguida foi a vez de dar boas vindas durante o outono, com uma guirlanda de frutas, logo depois, ao inverno com bonequinhos de neve (claro que não os temos por aqui, mas são tão lindinhos) e, finalmente, a primavera estampada em flores de crochê multicoloridas.  Agora já estou programando a de Natal, que será posteriormente  substituída pela de verão. Não é demais? A intenção é manter a mente e as mãos ocupadas para que não se atrofiem com o passar dos anos.  E não é que está dando resultado?

sábado, 21 de outubro de 2017

Orquideas


Esta pequenina e linda orquídea é uma "Maxillaria Tenuifolia". Originaria do México e America Central, é conhecida pelo aroma adocicado de suas flores, que lembra o coco queimado. De difícil floração, somente após mais de dois anos em nosso terraço, abriu suas primeiras flores  Quando adquirida, o vendedor nos disse que ela poderia levar até sete anos para florescer, mas para nosso encanto, abriu-se em flores nesta semana.
Valeu a pena esperar.

domingo, 20 de agosto de 2017

Meus passatempos


À medida em que vamos caminhando pela vida, em cada fase, descobrimos (ou redescobrimos) novos prazeres, que nos são gratificantes, seja pelo gosto em executá-los, seja pelos resultados obtidos. Desde sempre o crochê fez parte de meus passatempos. Amo ler, escrever, viajar, ver um bom filme no aconchego de minha poltrona favorita, ouvir música. Amo várias formas de artesanato, e costumava ir intercalando cada uma delas, em fases variadas de meu caminhar. Mas, desde menina, o crochê aprendido com minha mãe, que por sua vez aprendera com minha avó, esteve sempre presente. Só que, nos últimos anos ficara meio escondido, já que, como a maior parte das pessoas, minha atenção foi absorvida pelas novas tecnologias, pelo deslumbramento de tanta "modernidade". Fazer crochê era coisa de antigamente; comprava-se tudo pronto. Mas o encanto do novo virou rotina, e começou a ficar muito sem graça toda essa facilidade. Comecei a pensar na delícia de se fazer as coisas com suas próprias mãos, presentear uma pessoa querida com um trabalho seu, feito ponto a ponto com carinho, pensando no presenteado. E, pouco a pouco, fui voltando aos meus trabalhos manuais e, foi demais. Artesanato, crochê, tudo de volta à minha rotina, enchendo de cores minha vida. Entre as guirlandas que andam enfeitando minha porta de entrada (uma para cada evento, uma para cada estação do ano), acabo de montar esta toda em flores de crochê, prontinha para saudar a primavera.  Não ficou lindinha?

sexta-feira, 7 de julho de 2017

Inverno


Neste inverno, gelado, homenzinhos de neve vieram decorar a minha porta.

O mês de julho está luminoso, ensolarado, lindo. mas o frio também veio na medida dos julhos de antigamente, quando as estações eram mais definidas. Este é um mês de férias escolares, por aqui, portanto era tempo da garotada correr pelas ruas enpinando suas pipas (que chamavam de papagaio), com um céu azul de brigadeiro e um friozinho de gelar, que eles nem sentiam, tal era a alegria da liberdade que os cercava. Hoje os garotos não mais desfrutam dessa liberdade. As ruas são perigosas e o encanto dos IPhones, PPads, computadores, é bem maior que o dos antigos papagaios. Mas enfim, cada época tem suas tendências, seus costumes, seu jeito de ser, 

terça-feira, 23 de maio de 2017

Sem dúvida...


Um pensamento de Mario Quintana...

Se variam na casca, idêntico é o miolo,
Julguem-se embora de diversa trama:
Ninguém mais se parece a um verdadeiro tolo
Que o mais sútil dos sábios quando ama.

Nosso querido Quintana, sempre muito cheio de razão. O amor, realmente, transforma as pessoas. Criaturas sisudas chegam mesmo a se derreteram em, como dizia Pessoa, ridículas cartas de amor. Deliciosamente ridículas...


"Todas as cartas de amor são 
Ridículas.
Não seriam cartas de amor, se não fossem 
Ridículas.
Também escrevi em meu tempo cartas de amor,
Como as outras,
Ridículas.

As cartas de amor, se há amor,
Têm de ser 
Ridículas.

Mas, afinal, 
Só as criaturas que nunca escreveram
Cartas de amor
É que são 
Ridículas.

Quem me dera no tempo em que escrevia
Sem dar por isso
Cartas de amor
Ridículas.

A verdade é que hoje
As minhas memórias 
Dessas cartas de amor
É que são 
Ridículas

Todas as palavras esdrúxulas,
Como os sentimentos esdrúxulos
São naturalmente
Ridículas)"

(Aberto de Campos)