floquinhos

quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017

Dos temperos


Um pezinho de pimenta bhut jolokia, de origem indiana, crescendo lá no meu terraço, plantado e cuidadosamente cuidado por meu filho, entre os outros vasos de tempero, para uso em sua cozinha. Pimentinha pra ninguém botar defeito, está entre as três mais fortes do mundo. Os aficcionados dizem que ela é maravilhosa.

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2017

Sob um céu estrelado


Das utopias

Se as coisas são inatingíveis... ora!
Não é motivo para não quere-las...
Que tristes os caminhos, se não fora
A mágica presença das estrelas!

(Mario Quintana)

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2017

Pura terapia



Delicia! Novelos de linha colorida, muitos e de muitas cores, agulhas de crochê, música, sempre musica ao fundo, numa tarde quente e preguiçosa, sentindo o ventinho fresco que vem do terraço, pura terapia...

terça-feira, 7 de fevereiro de 2017

Canilzinho particular


Quando meu filho e minha nora mudaram-se para pertinho aqui de casa,  e por ser o apartamento novo bem menor que o anterior, e considerando que eles o fizeram para que eu me sentisse mais segura, e, eles mesmos preocupados com o fato de eu ficar so,  achamos por bem trazer os 4 cachorrinhos deles para fazer companhia ao cãozinho de casa, o Bill. Assim, eles vêm todos os dias para ver a mãe e, claro os pets. Cuidam deles, levam para banho, enfim, é pura diversão. No momento desta foto eles tinham acabado de chegar do banho e tosa. Um alvoroço em torno da Grazi... O envelhecer também traz benesses, com a vida em familia ora calma, ora agitada, o que não permite que o tédio e a mesmice se aposse de nossos dias.

quarta-feira, 4 de janeiro de 2017

De volta à rotina



Quando chega dezembro,  pouco a pouco a casa vai se enchendo de cores, de magia, na expectativa do Natal. E nos acostumamos com essas cores, com as luzes piscando, com a beleza do presépio e  da Vila. Assim também, logo no começa de janeiro, em apenas uma manhã, as cores, as luzes, a magia do Natal vão sendo encaixotadas uma a uma, levadas para o depósito onde ficarão esperando por mais um dezembro. E a casa enrosca-se em uma certa nostalgia, uma tristezinha... Mas isso também logo passa, porque tenho que rearrumar tudo no lugar, mudando isto ou aquilo e, quando percebo, minha casa está de novo acolhedora e com a minha cara. Foi um período muito bom, com o reencontro de familiares e amigos. Valeu cada segundo. É hora de voltar à rotina do dia a dia. No fim do ano tem mais.