floquinhos

segunda-feira, 20 de abril de 2009

Poesia na noite...


AONDE?...

Ando a chamar por ti, demente, alucinada,
Aonde estás, amor? Aonde... aonde... aonde?...
O eco ao pé de mim segreda... desgraçada...
E só a voz do eco, irônica, responde!

Estendo os braços meus! Chamo por ti ainda!
O vento, aos meus ouvidos, soluça a murmurar;

Parece a tua voz, a tua voz tão linda

Cantante como um rio banhado de luar!


Eu grito a minha dor, a minha dor intensa!

Esta saudade enorme, esta saudade imensa!
E só a voz do eco à minha voz responde...

Em gritos a chorar, soluço o nome teu
E grito ao mar, à terra, ao puro azul do céu:

Aonde estás, amor? Aonde... aonde... aonde?...

(Florbela Espanca)

6 comentários:

AFRICA EM POESIA disse...

Dulce
Guardei o selo obrigada pelo mimo
Para si deixo o meu selo...



GOSTO



Gosto
Gosto de quê?
Gosto de tudo
Gosto de ti...
Gosto de mim...
Gosto de estar
E porque gosto...
Gosto de estar...
Gosto de tudo...
Sento-me...
E sei
Que vou continuar...
...A Gostar...



Lili Laranjo

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Uma poetisa fantástica,muito admirada também pelo Ary de que falei ontem no Rochedo

Dulce disse...

Lindo seu selo, Lili...
Muitissimo obrigada.

Beijos

Ana Martins disse...

M A R A V I L H O S O Dulce!!!!!!!
Não é por acaso que somos fãs de Florbela Espanca!

Beijinhos,
Ana Martins

Dulce disse...

Carlos

Florbela sempre expõe o que nos vai n'alma e nem sempre conseguimos expressar.

Dulce disse...

Ana,

É como disse ao Carlos, na resposta anterior... Florbela traduz muitos dos nossos sentimentos.

Beijinhos