floquinhos

quarta-feira, 17 de junho de 2009

Florbela Espanca para sua noite...

Mistério d’amor

Um mistério que eu trago dentro em mim
Ajuda-me minh’alma a descobrir...
É um mistério de sonho e de luar
Que ora me faz chorar, ora sorrir!

Vivemos tanto tempo tão amigos!
E sem que o teu olhar puro toldasse
A pureza do meu. E sem que um beijo
As nossas bocas rubras desfolhasse!

Mas um dia, uma tarde... houve um fulgor
Um olhar que brilhou... e mansamente...
Ai, dize ó meu encanto, meu amor:

Porque foi que somente nessa tarde
Nos olhamos assim tão docemente
Num grande olhar d’amor e de saudade?!

(Florbela Espan
ca)

5 comentários:

Maria Emília disse...

Florbela Espanca era para além de grande poetiza, uma grande amante.
Ela própria dizia ser "honesta sem preconceitos, amorosa sem luxúria, casta sem formalidades, recta sem princípios e sempre viva..."
Um beijinho,
Maria Emília

Dulce disse...

Maria Emilia,
Florbela foi mesmo uma mulher intensa, qua amava amar...

beijinho

JúliaML disse...

como personalidade eu gosto muito dea fascina-me e estava muito além da sua época, mas gosto mais da poesia da vossa Ceciia Meireles :-)
a quem Pessoa admirava e quis conhecer e só porque os astros não foram favoráveis, faltou ao encontro...

Dulce disse...

Júlia

A poesia de Cecília é mais ampla, mais abrangente. Florbela é puramente amor, paixão.
Pena não ter-se dado esse encontro.
Realmente uma pena...

JúliaML disse...

Querida Dulce, é o que eu penso...