floquinhos

sábado, 21 de novembro de 2009

Um sábado todo cor de cinza...


Céu carregado nesta manhã de sábado, parecendo que nem quer amanhecer, tão escuro está ainda lá fora. E como estamos em fim de semana prolongado, graças ao feriado de ontem, a cidade está em calma. Tanta calma que nem o bem-te-vi atrevido que me acorda todas as manhãs está enchendo o ar com sua alegria. Deve estar encolhidinho no ninho, com medo da chuva anunciada para hoje. Essa chuva que sabe ser benfazeja, quando cai serena, molhando a vida, mas sabe também ser cruel, devastadora, como anda sendo agora lá no sul do país, deixando tristeza e morte em tantas famílias.
E eu aqui, olhando através da janela a manhã cinzenta, a rua vazia, começo a tecer histórias. Essa velha mania de olhar para uma janela e imaginar a vida correndo por detrás dela... Do outro lado da rua, num terraço do último andar, um homem sentado junto a uma mesinha, lê o jornal que certamente não traz boas notícias - ultimamente são bem raras as boas notícias. Imagino sua mulher na cozinha, preparando um café que será tomado a dois, entre comentários e histórias divididas. Mais abaixo uma mulher limpa cuidadosamente os vidros de uma das janelas e chego a ficar arrepiada com o descuido dela ao se dependurar para que seu braço alcance um ponto qualquer na vidraça. Na parte baixa do edifício, os empregados fazem a limpeza da piscina, acertam o jardim. Volto meu olhar para as casas lá em baixo, tão bem cuidadas e tão quietas, sempre, dando mesmo a impressão de que não abrigam moradores.
E assim o dia vai acontecendo, com todos os seu matizes, com todos os seus caminhares. Um dia sem muitas expectativas, parecendo nascido para o aconchego da poltrona, o livro, a música, o bate-papo amigo, o se estar em boa companhia... Ai, ai, ai... melhor eu ir preparar meu café para que meu dia também comece, pois hoje sinto que se não abrir o sol que guardo escondidinho dentro de mim, para uma emergência, vai ficar tudo mergulhado na penumbra...

14 comentários:

Carlos Albuquerque disse...

Meu Sábado também chegou pintado de cinzento e molhado, não de chuva, mas de um orvalho outonal.
Mas os seus olhos, Dulce, viram vida nesse Sábado, que tão bem descreve.
Vamos tomar um café quentinho, não é?
Beijos

Dulce disse...

Carlos Albuquerque

Será um prazer.
Um cafezinho recém coado, tomado durante um bate-papo com um amigo, sabe muitissimo bem.
Beijos e lindo sábado para você.

Fernanda disse...

Querida Dulce,

Estamos em igualdade de cirscunstâncias, tudo cinza e muita chuvinha.
Já tenho a lareira acesa e vou dar uma aula daqui a menos de 30 minutos, de 90 minutos. Mas isso eu adoro fazer.

Sabe que estou feliz... agora até os dias cinzentos são mais belos. O José ofereceu-me um disco de salsa "Salsa Beats", o mesmo que eu ando também a aprender na minha classe de dança, é a festa total :))))

Pena que não estejamos mais perto para um bate papo. Adoraria.

Beijinhos doce amiga,

FERNANDA & POEMAS disse...

QRIDA DULCE, QUE LINDAS IMAGENS, ME DESTE PARA EU SONRAR...!
ACORDEI POR VOLTA DAZ 10 HORAS... A 1º. COISA QUE FAÇO É IR Á JANELA COMO ESTÁ O MAR...!
HOJE COM VAGAS BRANCAS, MAS LINDO COMO EU GOSTO DO MAR QUERIDA DULCE, NASCI Á BEIRA-MAR, CRESCI NO MAR... E AGORA VIVO SÓ COM A AREIA A SEPARAR-ME DO MAR, ALÉM DO PONTÃO É CLARO...
AMIGA O MAR SEMPRE ME DEU VIDA, SEJA NO INVERNO QUER NO VERÃO... ADORMEÇO COM O BARULHO DO MAR E ACORDO COM ELE... DIGO-TE QUERIDA AMIGA SOU MUITO FELIZ ASSIM...
ABRAÇOS DE CARINHO E TERNURA... FENANDINHA

Dulce disse...



Então minha amiga anda a dançar a salsa, é? Que maravilha!
Pois é, temos um mar inteirinho entre nós, amiga... Mas vamos papeando por aqui.
Beijos

Dulce disse...

Fernandinha

Que delicia estar ao pé do mar, poder andar à sua beira, sentir sua força, ouvir seu ruido ao quebrar na areis... Que felizarda é minha amiga por te-lo por tão perto.
Já eu estou a bem uns cem quilômetros dele...
Aproveite seu mar, aproveite sua felicidade, viva seu momento, querida amiga
Beijos

Silvana Nunes .'. disse...

Salve !
Estou por aqui dando uma espiada.
Muito obrigada por sua visita e por palavras tão carinhosas para com o meu trabalho.Seus comentários sempre colorem o meu espaço e enchem o meu coração de alegria.
Volte mais vezes, FOI DESSE JEITO QUE EU OUVI DIZER... terá sempre uma história para contar.
Saudações florestais
http://www.silnunesprof.blogspot.com

Pitanga Doce disse...

Por aqui amiga Dulce o sol está "aceso" e mantem-se assim até agora, quase sete horas da noite (tarde). Chuva? Não há o menor sinal dela. Vamos esperar que comece por aí, como sempre. hehehe

beijinhos

Pitanga Doce disse...

Essas músicas que tens aqui me lembram os diversos Natais que passei em Portugal. Tudo tão branco e calmo! Minha lareira a todo o vapor. Ah, se fosse agora! Que toque diferente teria!

Dulce disse...

Silvana
Seu cantinho é sempre um lindo lugar a se visitar, é muito bom estar lá.
Obrigada / beijos

Dulce disse...

Pitanga

Pois então prepare os guarda-chuvas, capas galochas, etc e tal porque aqui está chovendo e muito... rs...
beijos e boa noite

Dulce disse...

Mila
O Natal no hemisfério norte é lindo demais, com neve, luzes, lindas musicas, cores, tão lindo. No ano passado estava lá. Neste ano, com a graça de Deus, minha filha e meus gringuinhos vão estar cá... rs...
Mas, querida amiga, mesmo sem neve nem lareira, quando o coração está feliz, há musica no ar, ternuna na alma, alegria na vida. E o seu Natal vai ser iluminado.
beijos

Pitanga Doce disse...

Dulce, sou o próprio pisca-pisca. hehehehe

Dulce disse...

Pitanga,

Sabe que pisca-piscar é comigo mesma? hehehehe
Beijos e muito bom domingo procê.