floquinhos

terça-feira, 10 de novembro de 2009

Sonhando com o Natal

(Brincadeira de roda - Miton Costa)

O dia ainda nem clareou e já se ouve o canto dos pássaros anunciando a vida. No quarto as escuras, desperto com a alma cheia de saudade... sonhava com meus pais, com os Natais de outrora, tão mais simples, tão mais cheios de religiosidade, de amor. O sonho trouxe saudades, despertando recordações...
Foram doces tempos . As crianças ainda acreditavam em Papai Noel e esperavam ansiosamente pelo presente que receberiam porque na maioria das vezes a alegria de receber um brinquedo só acontecia no dia de aniversário ou na noite de Natal. E eram brinquedos tão simples os que causavam essa alegria, como um carrinho feito de madeira, uma bola, umas panelinhas, uma boneca - as vezes feita de pano, pelas avós e isso era tão comum que foi imortalizado por Monteiro Lobato ao criar Emilia para o seu Sitio do Picapau Amarelo. Eu tive várias bonecas de pano, feitas por minha avó paterna com restos de tecidos, olhinhos bordados e cabelos feitos com fios de lã. A primeira boneca de porcelana ganhei aos onze anos, numa festa de Natal da Guarda Civil - meu pai pertencia a essa corporação - e foi um dos momentos mais emocinantes de minha infância. Brinquedos eram caros demais para o orçamento do pessoal do bairro, havia prioridades maiores, então as crianças costumavam brincar nas ruas muito seguras por aquela época. Pular corda, jogar bola, pular amarelinha, pega-pega, lenço atrás, brincadeiras de roda, e sonhar com o brinquedo que receberiam no Natal.
As crianças de hoje tem toda uma gama de brinquedos a sua disposição, brinquedos lindos, eletrônicos, multicoloridos, sofisticados, e ainda assim preferem gastar seu tempo livre diante da TV ou da tela de um computador... Não têm como correr soltas pelas ruas, não pulam corda, não jogam bola de meia com os pés descalços, não pulam amarelinha, nem caracol, não sabem passar aneis nem brincar de lenço-atrás, não brincam de roda - sequer conhecem as cantigas de roda, brincadeiras que passavam de pais para filhos e que se perderam no tempo da tecnologia e da insegurança... E nem mais precisam sonhar com a Noite de Natal para receber um presente, um brinquedo.
Novos tempos, novos costumes... Novas crianças que amadurecem mais cedo, mais cedo perdem o momento lúdico de suas vidas... Crianças forjadas para um amanhã completamente diferente do de ontem... Mas ainda assim, crianças... Crianças lindas e sonhadoras a caminho do futuro, do amanhã...

24 comentários:

Adolfo Payés disse...

Es un placer pasara a descubrir tu escritos..

Un beso


Un abrazo
Con mis
Saludos fraternos...

Dulce disse...

Adolfo Payés

Obrigada.
Um prazer recebe-lo.
beijos

Sandra disse...

Dulce, como é bom esperar pelo Natal...
Amo fazer árvores, enfeitar, colorir a casa. Mas acho que este ano, terei qu pedir ajuda aos filhos, para enfeitar a minha árvores e colotir um pouco a csa, com estes símbolos. Pois terei que ficar 45 dias sem pisar no chão.

Mas o Natal, acontece muito mais em nossos corações, e tenho certeza que vou fazer uma linda árvores.
Apreveito para...


RETRIBUIR A SUA VISITA E APROVEITANDO QUE A DOR DE CABEÇA DEU UMA TRÉGUA.
ACREDITO QUE FORAM OS REMÉDIOS MUITO FORTES.
SUA COMPANHIA É UMA ALEGRIA IMENSA.
COMO É BOM TER VC. NO BLOG.
AS AMIZADES VERDADEIRAS SÃO ÁRVORES DE RAIZES PROFUNDAS.
MUITO OBRIGADO, PELO CARINHO E VISITA. VOCÊ É O MEU BÁLSAMO. MEU REMÉDIO.AO ABRIR ESTE BLOG E VER PESSOAS QUERIDAS, ASSIM COMO VC. ME VISITANDO E DEIXANDO LINDAS MENSAGENS DE OTIMISMO, ALEGRIA, PAZ E SAÚDE, NOS FAZ SENTIR AINDA MELHOR, APÓS UM DIA DE DOR...
AMO VC. QUE PASSA NO BLOG.
NOSSA AMIZADE É UMA ALIANÇA, FEITA DO METAL MAIS PRECIOSO: O AMOR, A SINCERIDADE.
É UM GRANDE PRAZER RECEBÊ-LO NESTA CASA.
AQUI, JAMAIS SEREMOS ESQUECIDOS.
COMO DIZ FERNANDO PESSOA:" TUDO VALE A PENA SE A ALMA NÃO É PEQUENA".
SEU CARINHO NÃO TEM PREÇO.
VOCÊ É O MEU BRILHANTE.
MUITO OBRIGADO, PELAS ENERGIAS POSITIVAS.
COM CARINHO
SANDRA

Dora Regina disse...

Dulce, um texto lindo de saudades..
Também, as vezes me pego a recordar com muitas saudades os meu tempos de criança.
Infelizmente, hoje a criança perde muito a identidade infantl, a modernidade exige isso.
Grande abraço de saudade.

Dulce disse...

Dora Regina

As crianças hoje vivem uma outra realidade e o mundo da fantasia em que mergulham tem menos poesia, menos magia.
Beijos e obrigada.

Dulce disse...

Sandra

Muito obrigada pelas suas palavras. Você é uma pessoa muito doce, por isso tem tantos amigos que torcem por você.
Tenho certeza que seu Natal vai ser lindo e que sua árvore vai se muito especial. Também gosto muito do Natal e assim que voltar para casa vou começar a decorar tudo, assim entro no clima do Natal mais cedo.
Beijos e obrigada.

JCesar disse...

Oláááá Dulce, que imenso prazer tê-la aqui(lá), e saiba, que amigos nunca são uma intromissão, ao contrário, são as melhores pessoas a quem gostamos de partilhar nossas alegrias e poder ser solidario nos momentos difíceis.
Pode levar a Lua consigo sim, claro! Que a linda Lua que lhe trouxe possa acompanha-la sempre.
Mais uma vez, obrigado pela visita(só um pro-forma, porque não considero vocês visitas, Ok?), pelo carinho.
A riqueza do blog de vocês é tamanha que não estou dando conta!....de ler...com carinho, leitura a ser degustada, não engolida. Como sabe, estou cursando psicologia (5 anos.Estou terminando o segundo). O que não falta é leitura! Mas é ótimo. Assim como tudo aqui.
beijo Dulce.
JC

(essa resposta será republicada no blog do destinatário)

Vitor Chuva disse...

Olá Dulce!

Dizer que o Natal não é hoje visto e sentido pelas crianças da mesma maneira que há alguns - bons - anos atrás é certamente uma verdade inquestionável para aqueles que por cá andam há já "algum tempo". É verdade,hoje em dia as crianças crescem de forma acelerada, o tempo para ser-se menino e inocente - em que todas as fantasias e sonhos são possíveis - tem um calendário mais curto,tendo sido acrescentado ao período de vida adulta, o que é uma pena.
Mas a vida é assim; quando se "ganha" num lado, perde-se no outro - e atravessar a infância a correr, mesmo que recheada de brinquedos, é, definitivamente, uma perda.

Um abraço.

Vitor Chuva

Dulce disse...

JCesar

Obrigada, pela lua, pela acolhida, pela amizade. Há mesmo, na blogosfera, uma enorme quantidade de pessoas que nos cercam de carinho, que são amigas, e alem disso tudo ainda os oferecem espaços maravilhosos por onde andamos a descobrir coisas, a vivenciar momentos. E você, como estudante de psicologia, deve ter por aqui muito mais campo para ir desvendando a alma humana.
Beijos e obrigada.

Dulce disse...

Vitor

Concordo com vocé quando diz que ganha-se de um lado, perde-se de outro, pois assim tem sido para todos nós, adultos ou crianças com a implantação da era tecnológica. São as mudanças inevitáveis por que passa a civilização - diria melhor, a raça humana?... Sabemos disso e, como já vivemos tempos mais amenos e gostariamos que nossos netos os vivessem também, ficamos meio inconsolados. Na verdade gostariamos de proporcionar as novas gerações a doçura de antigamente mesclada ao desenvolvimento de hoje... Afinal dizem que a virtude está no meio. Imagino que sim...
Um abraço

Carlos Albuquerque disse...

Sensível esta sua evocação!
Hoje, os tempos são outros. Agora somos nós as crianças saltando a corta das nossas memórias, jogando de pé descalço com bola de trapos.
Aqui as noites estando ficando frias, é o Natal a dizer que está para chegar.
Por nossa casa o Natal é encontro da família, cada um vindo de seu lado para a consoada na casa dos pais e avós. É uma noite serena, de partilha de afectos. À meia-noite abrem-se as prendas, a criançada exulta! Que coisa mais linda ver e ouvir os seus risos!
Beijos

Dulce disse...

Carlos

Natal continua sendo muito especial por aqui também, uma festa de amor e de reunião familiar. Luzes, musica, presentes, amor, fé, magia. O tempo mais bonito do ano, um tempo em que os corações enchen-se de carinho.
A alegria que via em meus filhos, vejo-a agora repetida em meus netos.
Começa agora um tempo de luz.
Beijos

heli disse...

Dulce.
Passei por aqui para dizer que há um presente bem carinhoso para você lá no Chega Junto.
Adorei sua postagem sobre o Natal.
Natal é festa, muita alegria misturada com paz e harmonia.
beijos,
heli

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

O Natal é uma época muito triste para mim, mas as crianças são realmente o seu sal e pimenta. Apesar de os pesentes erem muito diferentes dos do nosso tempo, nas crianças parece permanecer o mesmo brilho nos olhos e é isso que ainda me permite acreditar que, se calhar, o uturo pode ser melhor do que por vezes acreditamos.
PS: Gosteii muito deste new look do seu blog!

Fernanda disse...

Querida amiga Dulce,

Lembrar os tempos dos nossos Natais é sempre maravilhoso.
Uma prendinha era uma alegria enorme.
Hoje é bem diferente mas é sempre Natal,com mais espírito de negócio do que o devido, mas enfim são os tempos que correm.
Mais um ano que vou passar sem o meu filho, tudo indica.
Será por isso pouco mais do que um dia normal para mim, mas será sempre Natal.

beijos

Dulce disse...

Heli

Muitissimo obrigada.
Já passei la no seu blog, pequei meu selinho e levei para o Livro dos Meus Selos, aonde ficará guardado carinhosamente, Muito obrigada.
Ah, minha amiga, daqui para a frente as postagens de Natal e sobre o Natal passam a ser frequentes.
Beijos

Dulce disse...

Carlos

Sabemos que o futuro está, como sempre esteve, nas crianças. Sabemos também que crianças são seres abertos e em formação, como uma massinha, prontas para serem moldadas. O que não sabemos é se os pais e mestres - hoje tão permissivos - saberão formar esses caráteres, moldar essa massinha de modo a formar "homens"...
O Natal, para mim, apesar de ter perdido um pouco o brilho, ainda é mágico. E me entristece saber que para você é um momento triste, porque é quando espero, gosto, de ver felizes as pessoas que quero bem, os meua amigos...
Mesmo imaginando suas razões, vou esperar que este seja um Natal menos triste para você, meu amigo.

Dulce disse...



Entendo sua tristeza, porque depois que meu marido se foi, passei vários Natais longe de minha filha e de meus dois gringuinhos. Faz sete anos que ela não vem ao Brasil Agora, com o divorcio, ela vai poder vir com os meninos, vai poder rever os irmãos e os sobrinhos. É assim, minha amiga, eles crescem, abrem suas asas para o mundo e nós passamos a viver esperando. E como o que realmente importa é que eles estejam bem, vamos em frente, procurando manter a alegria e a serenidade necessárias para que os outros ao redor de nós fiquem felizes também.
Beijos, boa noite e obrigada.

M. Lourdes disse...

Dulce
Quanta diferença entre os nossos presentes de Natal e os das crianças de hoje...
No entanto, no nosso tempo crescíamos com maiores dificuldades e dávamos muito valor às pequenas coisas.Hoje em dia, gastamos um dinheirão numa prenda e o entusiasmo de quem o recebe, não se compara com o nosso.
Mudam-se os tempos,...
Beijinhos

Dulce disse...

Lourdes,

Como tínhamos pouco, dávamos valor ao que tínhamos. As crianças de hoje, mais afortunadas, tem praticamente tudo o que querem Imagine você que por aqui, crianças de 8, 10 já tem seu computador, seu celular...
Claro que vivemos num pais de contrastes sociais, com crianças extremamente ricas e crianças em extrema pobreza, mas falamos da média.

beijos

Graça Tristão disse...

SAUDADES AMIGA DULCE! ESTIVE AQUI POR 3 VEZES...LHE OFERECI "MIMOS"...MAS COMO NÃO RETORNOU...ACHEI QUE ESTAVA SEM TEMPO...
MAS A SUA VISITA ME TROUXE ALEGRIA...E LEMBRAR DO NATAL...DE QUANDO AS CRIANÇAS ERAM PEQUENAS...QUANDO FICO "MELANCÓLICA" NEM SEI SE EXATAMENTE ESTA PALAVRA...MAS MEU FILHO ME DISSE CERTA VEZ "MÃE É A ORDEM NATURAL DAS COISAS"...SÓ QUE ESTA NÃO É A ORDEM DE NOSSO "CORAÇÃO"...NÃO É AMIGA? MAS TEMOS QUE TOCAR O BARCO E PROCURAR SER FELIZ NA MEDIDA DO POSSÍVEL...
A PAZ E A LUZ ILUMINE SEU CAMINHO!
BJ
GRAÇA

Dulce disse...

Graça Tristão

Mas minha amiga, peguei alguns selinhos e guardei no Livro dos meus Selos, prlos quais agradeço. Mas volto a sua casa para retirar outro, com muito prazer e agradeço.

Dificil entender essa ordem natural das coisas, mas ficaria muito mais dificil se essa ordem se invertesse. E nosso coração acaba entendendo e assim a vida vai seguindo, e nós com ela.
Beijos e obrigada.

elvira carvalho disse...

E eu tenho uma. Mariana a minha neta que acaba de fazer 9 meses.
Um abraço

Dulce disse...

Elvira

Tenho muita saudade dos meus netos aos nove meses... Tão bom carrega-los nos baços... Meus mais novo já fez oito anos e meu mais velho, se calhar, é ele quem me carrega nos braços, um rapagão de dexoito anos...
beijos