floquinhos

segunda-feira, 16 de novembro de 2009

De volta pro meu aconchego...


De volta ao ninho, ao meu aconchego, de novo no meu canto...
E em São Paulo o mesmo calor, o mesmo dia abafado... Mas abrem-se as janelas, um ventinho bom corre pela casa, toma-se um sorvete, põe-se uma roupa leve e a andar pelos cantos favoritos, vai-se matando a saudade.
Aqui minha poltrona predileta, à minha espera para a leitura de um bom livro, de um poema. Lá o sofá diante da TV que aguarda o momento de me mostrar um bom filme, logo mais à noite. Acolá o meu terraço, onde o cheirinho bom de manjericão vai perfumar minhas noites ou madrugadas insones, enquanto namoro a lua ou converso com as estrelas... Este é meu canto... Daqui saio para o mundo, para a vida... Tão bom estar de volta!

22 comentários:

ઇઉ Flor disse...

Olá Dulce. Que lindas palavras, eu também amo voltar para o meu aconchego. Fiz um post de selinhos. Tem dois selinhos para você no meu cantinho.
Um grande abraço.
Beijinhos...

Patti disse...

Ui! Aqui o sufoco é outro totalmente oposto: dia escuro, cerrado de chuva e vento que não param nunca!

Dias também muito bons para a leitura e bons filmes, só ainda não está frio suficiente para acender a lareira. Em Dezembro, talvez, para o friozinho gostoso do Natal.

Dulce disse...

Flor

Obrigada. Vou sim passar para retira-los.
Beijos

Dulce disse...

Patti

Gosto do frio, do aconchego do cantinho proximo à lareira, da manta sobre os joelhos, do cházinho quente na mesinha ao lado, da boa música ao fundo, do bom livro à mão... Mas aqui sâo bem poucos os dias que nos permitem acendar a lareira.
bjs

Fernanda disse...

Querida amiga Dulce,

Mas isso é um enorme previlégio, estou até com ciúmes...sempre a passear e a ver os seus amores, que bom.

Agora que está de volta, ainda tem bom tempo à sua espera, os seus cantinhos preferidos para relaxar e matar as saudades da sua casa, do seu manjericão e ainda namora a lua, ummmmmm !!!!

Beijinhos doce amiga,

Isa disse...

Adoro sair,estar com pessoas que Amo,
Família ou Amigos.
Mas depois sabe bem o regresso ao nosso aconchego.
Já disse,querida Dulce,vc escreve de tal forma que nos sentimos perto e acarinhados.Delícia.
Hoje levei a D.Júlia comigo,ao Hotel onde a irmã + nova e o marido estão
de regresso a Londres.
Gosto muito deles.
Gente querida e afável.
E ela ficou mesmo feliz!
Beijo.
isa.

Sonhadora disse...

Dulce
Que palavras serenas...transportam-nos para um mundo gostoso.
Um Beijo
Sonhadora

FERNANDA & POEMAS disse...

QUERIDA DULCE, MARAVILHOSAS PALAVRAS NESTE BELO TEXTO... ADORO-TE...!UMA NOITE FELIZ...ABTAÇOS DE CARINHO E TERNURA,
FERNANDINHA

Maria Teresa disse...

Nada como a casa da gente, Dulce, você tem razão. Por mais que seja sedutora a razão que nos faz viajar e sair da rotina, voltar torna a alma leve; até uma manhã fora de casa termina bem quando abrimos a porta e sentimos um cheiro bom de feijão, não é?
Beijo,
Maria Teresa

M. Lourdes disse...

Dulce
É bom passear, mudar de ares,visitar familiares e amigos, mas é muito bom regressar ao nosso cantinho.
Beijinhos

Dulce disse...

Ná, muito obrigada.
Tão bom estar casa quanto estar com meus amores, mas deve ser feito na medida exata, para que tudo fique bem. Eles chamam, eu vou, fico um pouco por lá e volto para meu canto.
A menos que precisem de mim. Ai fico o tempo necessário, com o maior prazer.
Beijos e linda noite para você.

Dulce disse...

Isa

Assim é a vida, minha amiga. D. Julia foi ajuda, amparo, amizade para você e hoje você retribui com tudo isso e muito amor em seu coração. Lindo!
Beijos, obrigada e boa noite, querida amiga

Dulce disse...

Sonhadora, muito obrigada.

Em certos momentos da vida, a serenidade é um bem precioso. E eu tento mante-la sempre que possivel.
Beijos e boa noite

Dulce disse...

Fernandinha,

muito obrigada! Você é um amor de pessoa, uma amiga que é presente de Deus...
Beijos e boa noite

Dulce disse...

Maria Teresa

É isso mesmo, por melhor que seja o mundo lá fora, chegar à nossa casa é chegar ao abrigo de nosso coração. Lá está nosso aconchego.
Beijos e boa noite

Dulce disse...

Lourdes

Ah, mas é bom demais, mesmo. Principalmente quando o tempo que ficamos fora é um pouco maior.
Beijos, obrigada e boa noite.

Pitanga Doce disse...

Dulce sabes que ando vivendo na Lua, mas onde é que estavas até agora?

Dulce disse...

Pitanga

Estava em casa de meu filho, em Campinas. Fui no final do mês passado, para a formatura de meu neto, Caio, e acabei ficando por lá por mais de duas semanas. Ontem ele (meu neto) prestou vestilular (primeira fase) da UNICAMP, fiquei para a torcida organizada... rs...
Mas já estou de volta ao ninho.
Beijos

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

À medida que vou envelhecendo, também vou sentindo esse prazer do regresso a casa. Estranho, num andarilho sem eira nem beira, que durante muitos anos não soube o verdadeiro significado da palavra lar. Mas onde me sinto mesmo bem, é na casa onde nasci. Vou lá uma ou duas vezes por mês e é sempre com um olhar renovado que o faço. Sem nostalgias, mas recordando as coisas e as memóias boas que fazem parte da minha história de vida.

Dulce disse...

Carlos

A maturidade vai nos ensinando a gostar das coisas simples, do nosso canto, da nossa serenidade, ainda mais num mundo agitado como este em que vivemos hoje.
Entendo esse seu sentimento com relação à casa que lhe serviu de berço. Adoraria poder visitar a minha, o casarão de que falei tantas vezes em minhas crônicas. Talvez signifique a segurança e o amor que encontrávamos nela, a pureza da infância que nunca mais retorna, a doçura e o amor com que nos cercavam... Não sei... Mas eu o invejo por poder ainda estar nesse seu mundo que foi um dia encantado.
Tenha uma boa noite.

Vivian disse...

...Dulce querida,
eu penso que não há nada melhor
que o canto da gente, a cama da
gente, a cobertinha macia no
sofá, o cheirinho da casa
quando entramos depois de um
tempo fora...
nosso canto, nosso abrigo,
nosso lar...

beijinhos deixo...

Dulce disse...

Vivian

Nosso canto é bom demais, não é, mesmo? Por melhor que estejamos fora, voltar é sempre muiiiito bom.
beijos e bom dia