floquinhos

domingo, 27 de setembro de 2009

Nesta manhã de domingo... Drummond


Poema que aconteceu

Nenhum desejo neste domingo
nenhum problema nesta vida
o mundo parou de repente
os homens ficaram calados
domingo sem fim nem começo.

A mão que escreve este poema
não sabe o que está escrevendo
mas é possível que se soubesse
nem ligasse.

(Carlos Drummond de Andrade)

6 comentários:

Carlos Albuquerque disse...

Olá amiga Dulce,
O nosso Domingo é de eleições. Mais de 9 milhões vão escolher. Depois vem o resultado e a seguir, negócio daqui, negócio dali, formam governo.
Ouvimos, olhamos...e, nunca se sabe, vamos gritar: Ai, tá tudo na mesmo!
:))
E por aí, a Dulce e a poesia hoje com esse domingo de Drummond de Andrade. Espero que o meu, que já começou, tenha fim!
BJS e abraço deste lado do mar

Isa disse...

Bom Dia,querida Dulce.
Belíssima escolha.
Já fui votar,já voltei,já encontrei
pessoas k ñ via há muito.
Vamos lá ver.
Beijo.
isa.

Dulce disse...

Carlos Albuquerque

Infelizmente, meu amigo, assim transcorrem mesmo as coisas, e não só desse lado do mar. Acaba mudando pouco, ou quase nada. Mas vamos tentando a mudança e a arma é mesmo um voto bem aplicado, consciente.

Que seja lindo seu domingo, com o fim que espera dele.
Beijos

Dulce disse...

Isa,

Boa tarde, minha amiga.
Dever cívico cumprido e ainda o prazer de reencontrar pessoas amigas. Isso é muito bom.
Um bom final de domingo para você.
Beijos

Fernanda disse...

Querida amiga Dulce,

Os meus Domingos têm algo de muito semelhante, esta espécie de letargia, de dolce fare niente.

Beijos

Dulce disse...



É preciso saber apreciar esse "al dolce fare niente"... rs...
beijos