floquinhos

sábado, 19 de setembro de 2009

Inquietudes das madrugadas...


A noite era de vento, barulhento, revolvendo tudo, balançando as árvores, cantando sua canção de chuva. A noite ia alta, já madrugada e o sono recusava-se a vir fazer-lhe companhia. A alma começava a ficar inquieta, pedindo aconchego, pedindo carinho... No silêncio da casa não ousava sair do quarto para não incomodar o sono dos que precisavam descansar. E a alma, sedenta de aconchego, cantava uma doce canção, volteando pelo quarto, trazendo lembranças, saudades, nostalgia. A noite que avançava, pouco a pouco foi se fazendo triste, tão triste quanto ela, aqora envolta nas saudades que a maldade da alma irriquieta e atrevida despertara dentro de si...

Fechou os olhos e, rendendo-se ao momento, saiu pelo tempo e pelo espaço a procura de um sonho perdido, um sonho que acalentara um dia, mas que, esquecido no fundo de seu ser, deixara-se ficar por tanto tempo entorpecido, para retornar descolorido, sem graça e, via agora, sem nenhuma razão de ser. Então já não havia sonho? Ah, não, ela nunca deixaria de sonhar. Apenas não se permitiria colecionar sonhos inúteis, enganosos, impossíveis... Apenas precisava aquietar a alma, domar um coração tolo que jamais aprenderia a lição... E retomar o caminho da esperança.
A madrugada foi dando lugar ao dia, a alma foi se aquietando, o sono veio finalmente envolvê-la num doce e reparador abraço que a acalentaria até que o som do rádio-relógio viesse avisá-la de que estava na sua hora de sair dos lençóis e ir enfrentar um novo dia que, certamente, seria lindo...

12 comentários:

Isa disse...

Bom Dia,querida Amiga.
Lindísimo e nostálgico texto!
Parabéns pelos seus queridos e um dia muito Feliz,com tudo de bom.
Beijo.
isa.

Dulce disse...

Isa

Minha querida amiga,

Os meus "meninos" agradecem pelos parabéns e eu agradeço pelo seu comentário.
Obrigada e lindo dia para você.
Beijinhos

Daniel Costa disse...

Dulce

Como a presente, fico sempre encantado com a tua prosa, escrita tranquilamente, numa traquilidade envolvente.
Daniel

Fernanda disse...

Amiga querida, Dulce,

Noites difíceis...sei bem do que fala.
Texto sempre lindo, doce, sem denotar amargura nem azedume. Você é linda...sabia???

Renovo os meus parabéns ao filho e ao neto, que tenham todos um dia muitoooooooooo feliz.

Beijos

Pitanga Doce disse...

Dulce te desejo tanta, mas tanta alegria no dia de hoje! Que tudo saia do jeitinho que foi planejado ou se houver surpresas que sejam boas e que sirvam para fazer rir mais tarde.

Que estejas linda e bem disposta porque sei o quanto esta noite há de significar para ti.

beijos amiga Dulce.

elvira carvalho disse...

Lindo e poético este pedaço de prosa.
Adorei.
Um abraço e tudo de bom

Dulce disse...

Daniel

Fico feliz que goste dos meus escritos, Daniel. Muito obrigada.
Um abraço

Dulce disse...

Fernanda

Você é um amor de amiga, Ná. Obrigada.
Sempre tem palavras gentis, doces, para oferecer a todos, sempre fazendo-nos sentir bem. Linda é você, minha amiga.
Em nome dos meus "meninos", muito obrigada.
Beijinhos

Dulce disse...

Pitanga

Mila, coisa boa receber um recadinho como esse seu!... Muito obrigada.

Entre uma coisa e outra, aproveitando a pausa para um café, vim ver meus recados e encontro tanta amizade, tanta ternura, de todos vocês, amigos tão queridos...
Ops, la vou eu de novo... amanhã volto com calma e conto como foi.
Beijos e muiiiiiiiiito obrigada

Dulce disse...

Elvira.

Um abraço, minha amiga e muito obrigada

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Interrompo a pausa de fim de semana, apenas para lhe mandar um beijinho deste meu Porto sombrio e triste.

Dulce disse...

Carlos

Faz-me pena imaginar o Porto sombrio, triste... Talvez porque o tenha visitado na primavera. Chovia, é verdade, mas como gosto de chuva...
Beijinho