floquinhos

segunda-feira, 12 de janeiro de 2009

MEUS POETAS DO CORAÇAO - Cecília Meireles



RETRATO

Eu não tinha este rosto de hoje,
assim calmo, assim triste, assim magro,
nem estes olhos tão vazios,
nem o lábio amargo.

Eu não tinha estas mãos sem força,
tão paradas e frias e mortas;
eu não tinha este coração
que nem se mostra.

Eu não dei por esta mudança,
tão simples, tão certa, tão fácil:
- Em que espelho ficou perdida a minha face?

4 comentários:

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Também gosto muito da Cecília.Obrigado pela visita ao meu Rochedo e pelas palavras que lá deixou. Só hoje retribuo avisita, porque estive para esses lados. Um pouco mais baixo, na Argentina, mas com uma temperatura bem mais agradável do que a que se faz sentir aqui em Portugal!

Dulce disse...

Carlos,
também tenho sentido o rigor do inverno no Hemisfério Norte, já que há alguns meses estou em visita a minha filha na região de Boston, USA. Acredite, não tem sido fácil, apesar de toda a beleza da paisagem...
Um abraço.

marilia disse...

esse é um dos poucos poemas dela que eu gosto... mas vou me reconciliar com ela quando ler o romanceiro da incofidência, tenho certeza!

beijo

Dulce disse...

Ah, eu também tenho certeza, Marilia...
Beijo