floquinhos

quinta-feira, 22 de janeiro de 2009

QUE BOM ESTAR EM CASA...


Acordo com o cantar arreliento do bem-te-vi e me deixo ficar ali, quietinha, sem me mover, sem nem abrir os olhos, sentindo cada movimento da cidade, o ronco dos carros passando na rua, os aviões cruzando os céus, o barulho do motor de uma moto, a janela do vizinho sendo aberta, cachorros latindo na vizinhança – e na minha casa? Sim, claro! O Bill, o novo morador da casa, late na área de serviço... Até o barulhinho do elevador me encanta!? Tanto barulho no meu despertar, tão diferente do acordar em Winchester, aonde durante seis meses e, principalmente nos meses de inverno, o acordar era tão silencioso... Mas me lembro que estou de volta ao ninho, que estou de novo no meu canto e isso me dá uma serenidade incrível.... Como pode essa barulheira toda soar como musica para meus ouvidos? Tenho certeza que amanhã já vou estar reclamando, mas por hoje,.. Ah, está bom demais!
Se ontem o dia foi de desarrumar malas, atender telefonemas, ler (e responder) e-mails dos amores e dos amigos me dando as boas vindas, hoje o dia deverá ser de organizar contas, compras, casa, tarefas tão prosaicas para quem chega com vontade de apenas curtir seu espaço... Mas se estou tão feliz por estar de volta ao meu aconchego, já tenho o coração cheio de saudade de minha filha e de meus netinhos que deixei por lá... Ah, coração dividido... quem dera poder te-los todos “ao pé de mim” ... Mas a vida os colocou em hemisférios diferentes e o jeito é a mãe andar de deslocando, não é?
Então vamos lá, começar o dia em Sampa, num ritmo completamente diferente do que vinha levando nos últimos seis meses, atenta as coisas daqui da terra para poder comentar, dividir cada momento com vocês que pacientemente vem visitar este blog.
Começo com meu cafezinho tomado no terraço, a espera do beija-flor que costumava me visitar todas as manhãs, mas isso é assunto para uma outra postagem...

Dulce
São Paulo, 22 de janeiro de 2009

2 comentários:

Lourdes disse...

Apesar das saudades, não há nada que se compare "ao nosso cantinho".
Agora que já se tornou um hábito invadir o seu espaço, espero conhecer melhor essa outra realidade, mais urbana, mas que é aquela em que, tal como eu, vivemos normalmente.
Bjs

Dulce disse...

Lourdes
Tem razão! Nosso cantinho é o doce aconchego de nossa alma.
Você é sempre muito vem vinda. Também eu vou estar vivenciando uma outra realidade nas páginas de seu blog, que gosto tanto de visitar.
bjs.