floquinhos

segunda-feira, 13 de julho de 2009

MEUS POETAS DO CORAÇAO - Manoel Bandeira

Cartas de meu avô

A tarde cai, por demais
Erma, úmida e silente...
A chuva, em gotas glaciais,
Chora monotonamente.

E enquanto anoitece, vou
Lendo, sossegado e só,
As cartas que meu avô
Escrevia a minha avó.

Enternecido sorrio
Do fervor desses carinhos:
É que os conheci velhinhos,
Quando o fogo era já frio.

Cartas de antes do noivado...
Cartas de amor que começa,
Inquieto, maravilhado,
E sem saber o que peça.

Temendo a cada momento
Ofendê-la, desgostá-la,
Quer ler em seu pensamento
E balbucia, não fala...

A mão pálida tremia
Contando o seu grande bem.
Mas, como o dele, batia
Dela o coração também

A paixão, medrosa dantes,
Cresceu, dominou-o todo.
E as confissões hesitantes
Mudaram logo de modo.

Depois o espinho do ciúme...
A dor... a visão da morte...
Mas, calmado o vento, o lume
Brilhou, mais puro e mais forte.

E eu bendigo, envergonhado,
Esse amor, avô do meu...
Do meu - fruto sem cuidado
Que inda verde apodreceu.

O meu semblante está enxuto.
Mas a alma, em gotas mansas,
Chora, abismada no luto
Das minhas desesperanças...

E a noite vem, por demais
Erma, úmida e silente...
A chuva em pingos glaciais,
Cai melancolicamente.

E enquanto anoitece, vou
Lendo, sossegado e só,
As cartas que, meu avô
Escrevia a minha avó.

16 comentários:

Osvaldo disse...

Oi, Dulce;

Mas este poema é belo demais. Temos vontade de continuar a ler, depois de o terminar...

Era assim Manoel Bandeira, que nos deixou um legado imenso de pura literatura...

Interessante, que descobri verdadeiramente Manoel Bandeira, embora já tivesse lido algumas das suas obras, num pequeno fascículo esquecido num banco de um ónibus e a partir de lá, faz parte dos meus crónicos escritores/poetas...

bjs, Dulce
Osvaldo

Dulce disse...

Osvaldo

Esse é um dos meus poemas do coração.
E, como você, também conhecia pouco Bandeira, até começar a trabalhar com meu filho. Ele passava lá em casa para me apanhar e irmos juntos para o trabalho. O caminho até o hospital era longo e com os sempre prováveis congestionamentos de SP ficava ainda maior, então o jeito era colocar CDs para irmos ouvindo e, dessa forma, não sentirmos tanto o tempo passar.
Aprendi tanto com ele naquela época. Aprendi a gostar de tanta coisa... Um dia ele colocou um CD com poemas de Bandeira e fomos ouvindo e comentando e foi então que percebi a ternura de cada verso, a doçura no coração do poeta. E foi ai que me apaixonei por Bandeira...
Tão bom aprender com os filhos... Eles sempre tem tanto a nos ensinar. Tão bom quando parece que as coisas dão uma pequena invertida e eles que sempre tiveram tanto a aprender conosco passam também a nos ensinar... Ai vemos que bem cumprimos nossa missão e que demos ao mundo pessoas lindas...
Obrigada por trazer-me tão boas recordações, Osvaldo.

beijos

Dulce

aninejf disse...

Bom dia Dulce... Como vão as coisas??? Vc está linda como sempre... Beijos sempre fraternos Anine

Dulce disse...

Anine, bom dia!

Ah, nada como ser vista por olhos de amigos... rs... Obrigada!

Por aqui, tudo bem. e com você?

Beijos

heli disse...

Dulce.
Concordo com o Osvaldo, a gente sente vontade de continuar lendo o poema.
Cada poeta com sua linguagem, Bandeira é bom demais!
Que bom que você nos proporcionou tão bela leitura.
Desejo-te um excelente dia!
bjs

Dulce disse...

Heli

Sempre gosto de dividir com meus amigos o que me agrada, o que acaricia minha alma. Bandeira sempre é um carinho, mesmo quando diz coisas tristes e duras, ele o faz com uma certa ternura.
Bom dia para você também.
beijos

mariabesuga disse...

Manuel Bandeira é um dos meus poetas do coração. De cabeceira... sempre!...

Este poema tão bonito!... Como as palavras podem ser o choro em que se enternece o sorriso...

Um beijo, Dulce

Dulce disse...

Maria Besuga

lindas as suas palavras, cheias de poesia. E verdadeiras...

beijos

Isa disse...

Dulce,minha querida. Cheguei do tratamento~. Só 6ª ficará pronto!
Da "pancada" q. me deu e parecia acabar o mundo...estou bem melhor.
Beijo,minha Amiga do coração.
Beijo.
isa.

Dulce disse...

Isa

Que bom, minha amiga, mais um pouquinho e estará livre de tudo isso. Sexta feira chega logo...
E fico feliz em saber que seu chão começa a se estabilizar sob seus pés. De agora para a frente, tudo vai caminhar para melhor...
Beijos

Sandra disse...

Dulce!
Tem bolo e selo na curiosa te esperando. Passe lá.

Sandra

Dulce disse...

Sandra

Hummm... bolo é? Delicia. E ainda com selo? Ah, vou já para lá... rs

Obrigada, Sandra
Bjs.

Lourdes disse...

Dulce
Linda esta poesia com que nos brindou hoje.
Desejo-lhe uma boa semana.
Beijinhos

Ana Martins disse...

Maravilhoso Dulce, uma sublimação da poesia!!!

Beijinhos,
Ana Martins

Dulce disse...

Lourdes

Manuel Bandeira sempre nos encanta.
Boa semana para você também.
Obrigada. Beijos

Dulce disse...

Ana

Assim é a poesia de Manoel Bandeira.
Beijinhos

Dulce