floquinhos

quinta-feira, 2 de julho de 2009

Manoel Bandeira - Poesia na manhã cinzenta


Vou-me embora pra Pasárgada...


Vou-me embora pra Pasárgada
Lá sou amigo do rei
Lá tenho a mulher que eu quero
Na cama que escolherei
Vou-me embora pra Pasárgada

Vou-me embora pra Pasárgada
Aqui eu não sou feliz
Lá a existência é uma aventura
De tal modo inconseqüente
Que Joana a Louca de Espanha
Rainha e falsa demente
Vem a ser contraparente
Da nora que eu nunca tive

E como farei ginástica
Andarei de bicicleta
Montarei em burro brabo
Subirei no pau-de-sebo
Tomarei banhos de mar!
E quando estiver cansado
Deito na beira do rio
Mando chamar a mãe-d'água
Pra me contar as histórias
Que no tempo de eu menino
Rosa vinha me contar
Vou-me embora pra Pasárgada

Em Pasárgada tem tudo
É outra civilização
Tem um processo seguro
De impedir a concepção
Tem telefone automático
Tem alcalóide à vontade
Tem prostitutas bonitas
Para a gente namorar

E quando eu estiver mais triste
Mas triste de não ter jeito
Quando de noite me der
Vontade de me matar
— Lá sou amigo do rei —
Terei a mulher que eu quero
Na cama que escolherei
Vou-me embora pra Pasárgada

6 comentários:

BEL disse...

Olá amiga Dulce
Mais uma poesia linda que não conhecia
Obrigada
beijos
Bel

Dulce disse...

Bom dia, Bel

Manoel Bandeira é um dos poetas de meu coração. Que bom que gostou.
Beijos

Maria Emília disse...

Também quero ir para Pasárgada. Como não vejo forma de ir na realidade vou imaginar e outro sítio por aqui hei-de encontrar porque o Universo está cheio deles.
Obrigada pela sua mensagem. È verdade Dulce, não estranho que tenha saudades de quando tinha alguém para lhe aquecer os pés na invernia.
Um grande beijinho,
Maria Emília

Dulce disse...

Maria Emilia

Então talvez nos encontremos em Pasárgada... rs... e vamos ser amigas do rei...
Ah, ter alguém para aquecer nossos pés no inverno!... Talvez em Pasárgada? Quem sabe? rs... As saudades são imensas, então, sonho...
beijos

elvira carvalho disse...

Também não conhecia esta, aliás devo dizer que conheço pouco deste autor.
Um abraço

Dulce disse...

Elvira.

Manoel Bandeira é um dos nossos grandes poetas, que vale bem a pena conhecer.

beijos