floquinhos

sexta-feira, 3 de julho de 2009

Hoje é dia de poesia...


E na poesia de Thiago de Mello...


O animal da floresta

De madeira lilás (ninguém me crê)
se fez meu coração. Espécie escassa
de cedro, pela cor e porque abriga
em seu âmago a morte que o ameaça.
Madeira dói?, pergunta quem me vê
os braços verdes, os olhos cheios de asas.
Por mim responde a luz do amanhecer
que recobre de escamas esmaltadas
as águas densas que me deram raça
e cantam nas raízes do meu ser.
No crepúsculo estou da ribanceira
entre as estrelas e o chão que me abençoa
as nervuras.
Já não faz mal que doa
meu bravo coração de água e madeira.

4 comentários:

LOURO disse...

Queria amiga Dulce.

Lendo este texto/poético, ao som
desta canção do Elvis,simplesmente belo...Gostei!!!

Bom fim de semana.

Beijinhos de carinho e amizade,

Lourenço

Dulce disse...

Obrigada, Lourenço.

Fico feliz quando consigo deixar aqui textos ou poemas que as pessoas gostem. Que bom!...

beijinhos

elvira carvalho disse...

Estou a gostar de conhecer este autor.
Um abraço

Dulce disse...

Elvira

Thiago de Mello é um dos poetas de meu coração e fico feliz que esteja gostando dele, tambem. Que bom.
beijos