floquinhos

segunda-feira, 22 de março de 2010

Quando a alma acorda criança...

("Roda" - Milton da Costa)

Hoje minha alma acordou criança, com vontade de correr pelos bosques, procurar trevos de quatro folhas no jardim, ir à matinée de um antigo cinema de bairro, brincar de roda, pular amarelinha, rir de tudo e por nada, ouvir histórias da Carochinha, mergulhar em lindos contos de fadas...
Ainda entre os lençóis percebo essa rebeldia inútil, mas tão gostosa de se sentir, fecho meus olhos e deixo que ela se vá pelo tempo em busca de momentos não vividos, que visite as ruas de minha infância, que mate saudades de gente querida que ficou perdida no tempo, que reencontre sonhos de menina-moça, seus primeiros desencantos, seu primeiro amor... E nesse reencontro ela se aquieta, já não pula amarelinha, não brinca de roda, não pula corda... Apenas sonha. Sonha e espera um olhar que, sabe, nunca virá, um sorriso que não acalentará, um toque que não sentirá... Ainda assim, ela sonha. Sonha e, romanticamente retorna ao seu ninho, força-me a abrir a janela e deixar que o sol entre pelo quarto a dentro, entre em cada um dos poros de meu corpo e cheguem até ela, trazendo a alegria de uma manhã de outono...
Hoje minha alma acordou moleca, caminhou pela vida, aqueceu-se nos raios de um sol que anuncia vida... Bom dia, vida...

6 comentários:

Agulheta disse...

Querida Dulce.Quem não tem sonhos doces como os aqui escritos,quantas vezes dou comigo a pensar e sonhar alto,e dizer para mim como o tempo correu!Adorei ler esta ternura.
Beijinho Lisa

Dulce disse...

Agulheta

É uma delicia, não é, Lisa? Lembras com doçura, reviver tempos de ternura, sonhar...
Obrigada, beijinho e boa tarde, querida amiga.

Bernardo disse...

Olá Dulce

É preciso sonhar, mais que nunca é preciso sonhar para sobreviver a este mundo absurdo. O EM PROSA E VERSO mesmo em prosa tem a magia do verso.
Parabens
Bernardo

Dulce disse...

Bernardo

Muito obrigada.
Muito gentil seu comentário...
E ainda bem que podemos sonhar, não é?
Um abraço.

Ana Martins disse...

Querida Amiga Dulce,
Nunca tinha pensado nisto, mas depois de ler o seu fantástico texto, devo confessar que a minha alma acorda criança muitas vezes!

Beijinhos,
Ana Martins

Dulce disse...

Ana

Descobrir a alma criança que guardamos em nós é maravilhoso...
Beijinhos e boa noite