floquinhos

sábado, 6 de março de 2010

Para um sábado de chuva...


Apontamentos para uma elegia

(Mario Quintana)

Debruço-me
Sobre mim
Com a melancolia
De quem contempla as coisas disparatadas que há na vitrina de um bric...
Pobre alma, menina feia!
As lágrimas embaciam os teus óculos.
E o mais triste é que são verdadeiras lágrimas,
São um mero subproduto do tempo,
Como esse pó das asas de mariposas
Que ele vai esfarelando, aqui, e ali, sobre todas as cousas


6 comentários:

Ana Martins disse...

Amiga Dulce,
sempre que nos debruçamos sobre a melancolia, as lágrimas são verdadeiras e sentidas, é como se lavassemos a alma!

Muito lindo!

Beijinhos,
Ana Martins

Bernardo disse...

Olá Dulce

Há tempos que não te visito, confesso, e vejo que perdi muito com isso. Seu blog continua maravilhoso, e volto justamente num momento em que postas o nosso Quintana.
Um grande e saudoso abraço
Bernardo

Dulce disse...

Ana

Lindo este seu comentário, cheio de poesia, a mesma poesia que sempre nos oferece. Obrigada
Beijos e boa tarde

Dulce disse...

Bernardo

Muito bom recebe-lo por aqui. Você é muito bem vindo. Obrigada pela presença e pelas palavras.
Beijos e boa tarde.

Agulheta disse...

Querida Dulce. Quando a lágrima cai no rosto,a alma fica lavada.Por essa razão quando ela é verdadeira é a mais sentida,gosto de ler a posia que aqui nos deleita.
Beijinho bfs Lisa

Dulce disse...

Agulheta

Obrigada minha amiga, pelo lindo comentário que aqui deixou.
Beijos e boa tarde