floquinhos

terça-feira, 16 de março de 2010

No silêncio da noite, Cecília Meireles...


O Tempo no Jardim

Nestes jardins - há vinte anos - andaram nossos muitos passos,
e aqueles que então éramos, se contemplaram nestes lagos.

Se algum de nós avistasse o que seríamos com o tempo,
todos nós choraríamos, de mútua pena e susto intenso.

E assim nos separamos, suspirando dias futuros,
e nenhum se atrevia a desvelar seus próprios mundos.

E agora que separados vivemos o que vivido,
com doce amor choramos quem fomos nesse tempo antigo.

17 comentários:

Vieira Calado disse...

Boa ideia dar-nos este poema!

Bjs

Dulce disse...

Vieira Calado,

Leva-nos à reflexão, não é?
bjs

Sonhadora disse...

Minha querida Dulce
Lindo este poema.


E agora que separados vivemos o que vivido,
com doce amor choramos quem fomos nesse tempo antigo.

Adorei.

beijinhos
Sonhadora

Dulce disse...

Sonhadora

Também gosto muito desses versos.
Beijo, obrigada e boa noite.

Maria Teresa disse...

Dulce:
O melhor é que somos isto que somos impregnado de tudo aquilo que fomos e de que nos lembramos assim tão ternamente. Que bom!
Beijos

Pitanga Doce disse...

Talvez a mensagem de Cecília seja viver intensamente o Hoje!

beijos em manhã que o Sol fez gazeta.

Dulce disse...

Pitanga Doce

Pois, é, Mila, nós sabemos bem da importância de viver o hoje da melhor forma possível...
Por aqui, o dia que amanheceu azul, começa a enfarruscar, avisando que pode chover. E esta sua amiga aqui, tem um enorme "programa de índio", para hoje... rs... A cadeira do dentista... snif... snif...
Beijos

Dulce disse...

Maria Teresa

Linda essa sua definição, minha amiga.
É isso mesmo o que somos, uma doce mistura do que fomos com o que sonhamos ser...
Beijos, obrigada, bom dia

Gaspar Lamorise disse...

muitos parabens para vocé
un abraço

Lamorise

Dulce disse...

Gaspar Lamorise

Muito obrigada.
Um prazer recebe-lo neste cantinho. Seja bem vindo, Lamorise.
Um abraço

Pitanga Doce disse...

Mas Dulce, quer melhor desculpa do que a chuva para não ir ao dentista?? hehe

E Bethania canta:

Eu sei e você sabe
Já que a vida quis assim
Que nada neste mundo
Levará você de mim
Eu sei e você sabe
Que a distância não existe...

Dulce disse...

Pitanga

Pois é, mas a chuva acabou nem caindo e não tive desculpa, mas foi tudo bem... rs...

Linda essa música, não? Não encaixa como uma luva? ai, ai...

Beijos

Pitanga Doce disse...

No tamanho certo minha amiga:

"Não há você sem mim
Eu não existo sem você"


Choooove!

Pitanga Doce disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Dulce disse...

Pitanga

É isso que torna a vida linda demais.

(deixa chover, minha amiga... rs)

Ana Martins disse...

Amiga Dulce,
o tempo, as recordações e os pensamentos, lindo!!!!

Beijinhos,
Ana Martins

Dulce disse...

Ana

Obrigada, minha amiga, obrigada!
Beijinhos