floquinhos

terça-feira, 30 de março de 2010

O dia amanheceu tão lindo...


Um dia de outono como este, lindo, iluminando, põe tanta ternura em meu coração e evoca uma CANTIGA, como esta de Cecilia Meireles...

Nós somos como o perfume
da flor que não tinha vindo.
esperança do silêncio,
quando o mundo está dormindo.

Pareceu que houve o perfume...
E a flor, sem vir, se acabou.
Oh! abelha imaginativa!
o que o desejo inventou...

4 comentários:

Maria Teresa disse...

Dulce:
Ficam muito mais perfumadas as flores que não vêm; isso porque o aroma que elas exalam atingem a pureza da alma e apreciam tanto aquele aconchego, que se esquecem de brotar.
Beijos e ótima Páscoa para você.

Dulce disse...

Maria Teresa

São flores d'alma...

Obrigada e uma Feliz Páscoa para você também.
Beijos

Pitanga Doce disse...

Ah, Dulce, que manhã tão linda e proveitosa! Com fuso ou sem fuso!


"Pareceu que houve o perfume...
E a flor, sem vir, se acabou.
Oh! abelha imaginativa!
o que o desejo inventou"...

Ah Cecília! Se no seu tempo houvesse correios assim! O tanto mais que o desejo inventaria!

Dulce disse...

Pitanga Doce

Manhãs assim lavam a alma, não é, Mila?

As abelhas imaginativas têm o mais doce mel... inventados ou não.

Beijos, querida amiga e boa tarde para você.