floquinhos

quarta-feira, 2 de junho de 2010

Sobre a passagem do tempo...

(Salvador Dali)

Tempo Repartido

Efêmero animal,
a mais humana das criações humanas,
concebida no delicioso desmaio
da mais fugaz de todas as loucuras,
o homem já nasce com os tempos contados.
Enquanto o tempo o devorava,
descobriu que o tempo passa,
mas fica, para poder continuar a passar
sendo sempre o mesmo todo o tempo,
que nunca pode parar.
Com a ajuda de máquinas,
repartiu a efêmera vida humana
em milhões de pedaços de tempo,
dos quais ressurge inconsútil,
atravessando a noite
no coração de uma estrela
que traz na fronte
a alvorada e o entardecer.

(Thiago de Mello)

6 comentários:

FERNANDINHA & POEMAS disse...

QUERIDA DULCE, DESCULPA O MEU DESAPARECIMENTO... ESTIVE SEM COMPUTADOR MAIS DE UMA SEMANA...!
BELA POSTAGEM AMIGA... ADOREI...!

UM BOM FERIADO E UM GRANDE ABRAÇO DE CARINHO E AMIZADE,

FERNANDINHA

Dulce disse...

Oi, Fernandinha

Bom demais te-la de volta, querida amiga.
Obrigada, beijos e linda tarde para você.

Zen disse...

Olá Dulce, adorei o seu blog,as postagens são de muita sensibilidade,o fundo musical é lindo.Está de parabens. Logo voltarei.Bjs.Zen.

Dulce disse...

Zen

Muito obrigada. Foi um prazer recebe-la, volte sempre, pois é sempre muito bem vinda.

Tenha um bom dia.

Marina Fligueira disse...

No sé el porque no se ha publicado mi comentario. Haber si este entra. Preciosa poesía, Un saludo cálico. Volveré. Chauuuu

Dulce disse...

Marina Fligueira

Peço desculpas, Marina, mas realmente não recebi seu comentário. Uma pena. Tenho tido alguns problemas com minha caixa de comentários, e espero que não volte a acontecer.

Estou muito feliz com sua visita, saiba que é e sempre será muito bem vinda aqui no Prosa.
Muito obrigada e que tenha um bom dia

bjs.