floquinhos

domingo, 13 de junho de 2010

O Sol traz uma cantiga...


Os últimos dias foram cinzentos, de muito frio, dias de se ficar encolhida, entre camadas de agasalhos, sonhando com o calorzinho de um raio de sol como este que agora, passando através da vidraça, aquece meus pés ainda envoltos em meias de lã.
O dia, hoje, amanheceu azul e acordei ouvindo o canto do estridente bem-te-vi que deveria estar empoleirado em algum beiral, aquecendo-se ao sol que finalmente se derrama por sobre a cidade. E, ainda envolta nas cobertas, olhos fechados, no doce aconchego de um amanhecer azul, fui mergulhando nuns delicados versos de Cecília Meireles...

Cantiga

Bem-te-vi que estás cantando
nos ramos da madrugada
por muito que tenhas visto,
juro que não viste nada.

Não viste as ondas que vinham
Tão desmanchadas na areia,
quase vida, quase morte,
quase corpo de sereia...

E as nuvens que vão andando
com marcha e atitude de homem,
com a mesma atitude e marcha
tanto chegam como somem.

Não viste as letras que apostam
formar idéias com o vento...
E as mãos da noite quebrando
os talos do pensamento.

Passarinho tolo, tolo,
de olhinhos arregalados...
Bem-te-vi que nunca viste
como os meus olhos fechados...

(Cecília Meireles)

10 comentários:

orvalho do ceu disse...

Olá, querida
O sol ainda não nasceu por aqui...
Mas está tudo muito mais claro com o que vc ilustra seu pst: "CAMINHAR COMO HOMEM"... "OLHOS FECHADOS"...
Que o SOL nos ajude a abri-los e caminhemos mais firmes!
Bom Domingo e muita paz!

FERNANDINHA & POEMAS disse...

OLÁ QUERIDA DULCE, MARAVILHOSO POEMA... LER ASSIM POESIA, FAZ O CORAÇÃO SORRIR...ADOREI AMIGA... ABRAÇOS DE CARINHO E TERNURA,
FERNANDINHA

AFRICA EM POESIA disse...

DULCE

Venho deixar um pouco de alegria com a minha fruteira
Um beijo




CESTINHA

Cestinha da fruta...
De metal e asas largas....
Cestinha linda...
Que tão bem cheiras...
E o teu aroma...
Espalha-se pela casa toda...


Porque aqui nesta cestinha...


Eu encontrei...
O meu lindo abacate...
Verde e elegante...
A Dona manga bem madurinha...
Fica toda vaidosa...


Depois, dois lindos maracujás...
Muito roxos... fazem companhia...
E tu Ginguenga...
Vermelha e oval...


És apenas o contraste...


E a fruteira...
Tem também...
Duas lindas goiabas...
Doces...
E com um cheirinho...
Que se junta aos outros...
E se estende pela sala...

E tu...Fruteira...

Continuas a deliciar...
Com os teus cajús...
E castanhas de estalar ...



LILI LARANJO

Ana Martins disse...

Querida amiga Dulce,
uma delícia este poema, não conhecia e gostei muito.

Beijinhos,
Ana Martins

Dulce disse...

Fernandinha

Minha querida amiga, muito obrigada. Como sempre você chega com uma palavra de carinho que me deixa muito feliz.
Beijos e boa semana para você.

Dulce disse...

Africa em Poesia

Delicia de cestinha, minha amiga! Lindo poema, como sempre.
Estamos todos em Africa, em pensamento, nestes dias de Copa do Mundo. Assim vamos conhecendo um pouco mais desse continente que é mágia, mistério, futuro...
Beijos e uma boa semana para você.

Dulce disse...

Orvalho do Céu

Nos versos de Cecília os desejos de nós todas, não é mesmo?
Beijos, obrigada e uma ótima semana para você.

Dulce disse...

Ana Martins

Também eu, Ana, a cada dia descubro novos versos de Cecília que me tocam lá no fundo.

Beijos, boa noite e uma linda semana para você.

Anônimo disse...

Boa noite Amiga Dulce, aqui vamos a caminho da meia-noite e eu aproveito para dar uma olhadela no seu blog que, é sempre uma maravilha. Em Lisboa festeja-se o dia de Sto.António com marchas, sardinhas, manjericos, muita coisa pelos bairros populares e pela baixa da cidade.No entanto nesta data se comemora o seguinte:
Fernando Pessoa nasceu a 13/06/1888
Eugénio de Andrade morreu a 13/06/2005
António Variações morreu no dia 13/06/1984.
Mando-lhe do Eugénio de Andrade o seguinte:
Toda a poesia é luminosa, até a mais obscura.
O leitor é que tem às vezes, em lugar de sol, nevoeiro dentro de si e o nevoeiro não deixa ver claro.
Se regressar outra vez e outra vez e outra vez a essas sílabas acesas ficará cego de tanta claridade.
Abensoado seja se lá chegar.

Um abraço. Maria
2010/06/13

Dulce disse...

Anonimo

Maria,
Por aqui já não temos os festejos de Sto Antonio como nos meus tempos de criança, nas é muito reverenciado.
Que dia especial esse que marca tantas efemérides, não?
Lindissimo poema de Eugênio de Andrade. Confesso que não conhecia, mas vou tentar corrigir essa falha. Muito obrigada.
Beijos e uma linda noite para você