floquinhos

quinta-feira, 10 de junho de 2010

Dia de Camões, Dia de Portugal, Dia da Raça...

(Esta linda imagem foi tomada emprestada ao blog Pitanga Doce. Obrigada, Mila)

Minha querida amiga Mila, do encantador blog "Pitanga Doce" alerta-me para a data de hoje, 10 de junho: Dia Camões, Dia de Portugal e das Comunidades. E tem lá em seu espaço uma homenagem à data (vão lá ler, está linda), que termina dizendo do orgulho de ser portuguesa, ainda que por opção. Orgulho que carrego também dentro de mim, não só por opção ou por ser filha de portugueses, mas também, e principalmente, por ter, por inteiro, alma portuguesa.

Deixo aqui meu abraço aos meus queridos amigos d'aquem e d'além-mar que sintam vibrar em si um doce amor pelas terras portuguesas e por sua gente.

8 comentários:

Pitanga Doce disse...

Dulce o lado difícil disto tudo é que trazemos o fado na alma, não é amiga?

Viva Portugal e seu povo!

beijos

Dulce disse...

Pitanga Doce

Na alma e no coração, querida amiga...
VIVA !!!

Beijos

Isa disse...

Dulce,Amiga querida,de fugida,vim agradecer a referência ao Dia de Portugal.
Conhece-me um pouco e sabe como sou:
rebelde,teimosita,ñ vou por ir atrás disto ou daquilo.
Dia 10 de Junho continua a ser para mim:
Dia de Camões e de Portugal.
Amo o meu País,mas sofro,neste momento por o ver tão pobre,triste e
a pensar apenas na Bola...
(Será a alegria do Povo??)
Beijo.
isa.

Lídia Borges disse...

Saboroso, este texto!

Obrigada!

L.B.

Dulce disse...

Isa

Ah, minha amiga, tão parecidos são os nossos povos, não fora um imenso mar a separá-los. Pois por aqui também só se anda a pensar na bola... Acho que um povo, quanto mais sente dificuldades, mais se esconde da realidade e busca alegrias que o impulsionem, para não sucumbirem.
Que tenham (ou tenhamos) pelo menos essa pequena alegria, não é?
Beijos

Dulce disse...

Lidia Borges

Não há o que agradecer, Lidia.
beijos

Patti disse...

Um grande beijinho, Dulce.
Pertencemos todos à mesma terra.

Dulce disse...

Patti

É verdade! Por nascimento, por opção, por amor às raízes, não importa... O fato é que assim o é.
Beijos