floquinhos

sexta-feira, 18 de junho de 2010

Deixa-nos hoje um dos Escritores de Meu Coração


O mundo hoje ficou menor, com menos brilho e mais triste.
Pelo menos para mim, hoje é um dia triste. Leio, consternada, a notícia da morte de Saramago.
Poderia escrever páginas sobre ele, seus conceitos, sua obra, sua vida, mas... Não. Não o farei. Apenas vou curvar-me ante a verdade da morte e recolher-me nesta tristeza que sempre me envolve ao partir de uma pessoa que foi importante para meu entendimento da vida.
A José Saramago, minha mais sentida homenagem e meu muito obrigada pelos momentos que me ofertou através de seus livros, de sua vasta e magnífica obra.

24 comentários:

Mari Amorim disse...

Fica a saudade,em 2008 quando ele esteve no Brasil,em SP,tive a felicidade de ir ao lançamento de seu livro,fiquei encantada com aquele velhinho quase cego,mas tão amável.A terra perde um gênio,o céu ganha um Anjo.
Boas energias,
Mari

Pitanga Doce disse...

Soube na notícia agora que vim do Reflexos. Não era meu autor de predileção mas levava o nome de Portugal ao mundo.
"O homem vai mas a obra fica".

beijos Dulce

Dulce disse...

Mari Amorim

Deixa um enorme vazio, uma enorme saudade.
Não estava no Brasil por ocasião dessa visita dele e assim, infelizmente, perdi a chance de o conhecer pessoalmente.

Um abraço

Carlos Albuquerque disse...

Tive o privilégio de o conhecer pessoalmente.
Perdemos um escritor original com a marca do talento e do génio. Um ser de Humanidade intensa.
Faço referência à sua morte no meu blogue.
Beijos, amiga Dulce

Dulce disse...

Pitanga Doce

Era dos escritores que sempre estão à minha cabeceira... Sabemos que até os Imortais nos deixam, mas sempre ficamos inconformados quando eles se vão.

Beijos, amiga, e um lindo dia para você.

Dulce disse...

Carlos Albuquerque

Realmente, um enorme privilégio que, infelizmente, não tive. E como lamento por isso...
Passo em seu blog para ler o que o amigo tem lá sobre nosso Saramago. Já estive no Rochedo onde o Carlos, também inconformado e triste, deixa palavras comoventes.
Estamos todos muito triste.
Beijos, Carlos.

Julio Cesar disse...

Dulce dulce duuuuuulceeee!!!(sei que é preciso só um mas minha indignação é tripla)...ai ai...dulce..jura jura?

Neste semestre meu contato com a literatura estreitou-se mais ainda por conta do estagio tendo como tema a "arte como cammpo da psicologia", afunilanado na literatura. Dentre os autores que le-mos estava lá, Saramago. Analisamos o conto "A Ilha Desconhecida"...fantástico. E na ocasiaõ, pude tomar conhecimento de outros dados do autor que até então eu desconhecia...como sua ida para a Espanha em detrimento da posição do gov.portugues, quando de sua indicação ao nobel e o livro de jesus..enfim...
triste triste...
um escritor de peso, sem duvida, com coragem de escrever e com uma arte literaria como a de grandes pintores da historia... a mim, seus textos caem como telas de Van Gogh...
De fato...que desses grandes homens que maravilhoso que vivam a sempre suas obras.

bj dulce
PS:hoje encerrou a ultima bateria de provas...e fim do semestre. ufff...-mas ainda ha um relatorio para terça, em formato de tcc.
outra coisa:
nunca havia lido e tão pouco conhecia Ivan Angelo, que escolhi para meu trabalho, e daquele, escolhi o conto "Menina". Outro nome admiravel que ainda está vivo aqui com a gente.
fique com Deus.
Julio

Dulce disse...

Julio César.

Pois é, infelizmente mesmo os Imortais um dia nos deixam... E hoje, meu amigo, estou sem palavras, embargada... Que bom que o conheceu e que o entendeu...
Final de semestre, últimos trabalhos e depois um tempo para respirar mais tranquilo antes da retomada em agosto, não é? Preciso confessar que não conheço (também) Ivan Angelo, mas vou tentar corrigir essa falha.
Beijos, Júlio, uma ótima tarde para você e fique com Ele, também.

Anônimo disse...

Ergo uma Rosa
Ergo uma rosa, tudo se ilumina
Como a lua não faz nem o sol pode:
Cobra de luz ardente e enroscada
ou vento de cabelos que sacode.
Ergo uma rosa, e grito a quantas aves
O céu pontua de ninhos e de cantos,
Bato no chão a ordem que decide
A união dos demos e dos santos.
Ergo uma rosa, um corpo e um destino
Contra o frio da noite que se atreve,
e da seiva da rosa e do meu sangue
construo perenidade em vida breve.
Ergo uma rosa, e deixo, e abandono
Quanto me doí de magoas e assombros.
Ergo uma rosa, sim, e ouço a vida
Neste cantar das aves nos meus ombros.
José Saramago
--------------------------
Ergamos então, amiga Dulce, uma bela rosa neste dia em que marcado
pela passagem do José Saramago
Maria
Lisboa, 2010/06/18

Dulce disse...

Anonimo

Seja, então, Maria, um branca rosa entreaberta e perfumada... ergamos a ele...
Beijos, obrigada e boa tarde.

Maria Teresa disse...

Há pessoas que imaginamos sempre eternas. Para mim, Saramago era uma delas.
Beijos

Arte&Reciclagem, ReceitasSaúde e ReciclagemdasLetras disse...

Dia triste para a humanidade, perdemos um gênio, um homem raro, um escritor genial. Um bj

LOURO disse...

Amiga Dulce,

Linda homenagem a José Saramago,um dos grandes poetas da nossa geração,que descanse em paz...
Vai o poeta fica a obra!!!

Bom fim de semana,
Beijinhos de carinho e amizade,
Lourenço

Dulce disse...

Maria Teresa

Como todos os grandes escritores que passaram pelo tempo e pela vida, ele certamente ficará "eterno".
Beijos e boa noite

Dulce disse...

Reciclagem das Letras

Ficamos com ele em cada um de seus livros, em cada poema, conto, crônica, enfim em cada uma das linhas que ele tão bem escreveu.
Beijos

Dulce disse...

Louro
Obrigada. Lourenço. Realmente, fica a obra, que o manterá vivo através do tempo.

Obrigada, beijos e uma boa noite para você.

Ana Martins disse...

Querida amiga Dulce,
uma grande perda para a cultura e Literatura Portuguesa. Saramago viverá para sempre nos corações de todos aqueles que o souberam amar e respeitar como Homem e Escritor.

Bonita Homenagem!

Beijinhos,
Ana Martins
Ave Sem Asas

Jardeco7 disse...

Há poucos dias acabei de ler Intermitências da Morte, dele.
Dulce, fizeste uma bonita homenagem.
Estamos de luto.

Osvaldo disse...

Dulce;

Como Dramaturgo, Saramago foi excepcional...

Como homem,... talvez.

Desculpa.

Mas, como todo o ser humano, direi; Paz à sua Alma.

bjs.
Osvaldo

Dulce disse...

Ana Martins

Como já disse, criou-se um vazio em nossa literatura com a sua partida. Ficou a obra, ficou o nome, ficou a saudade.
Beijos e um bom dia para você

Dulce disse...

Jardeco

Sabe, Jards, o primeiro livro dele que li foi o "Memorial do Convento", faz muito tempo. Começou como uma leitura difícil, porque Saramago tinha lá seu jeito especial de escrever, mas tornou-se um vício.
Obrigada e um bom dia para você.

Dulce disse...

Osvaldo

Bom dia, meu amigo.
Não há o que desculpar. Homenageamos o dramaturgo incomparável. O homem, por sua posição politico-religiosa, talvez tenha sido figura controversa, mas pessoas que o entrevistaram, que tiveram a oportunidade de com ele conviver, citam-no com admiração. São opiniões que temos, cada um de nós, e que devem ser respeitadas, não é mesmo?
Beijos, obrigada e um bom final de semana.

Dylan disse...

José Saramago não era menos português por não pôr a bandeira à janela na véspera de um evento desportivo. Acima de tudo, a sua essência era ibérica. Convém dizer que só saiu de Portugal devido à ostracização de Sousa Lara, comprovada agora com o episódio político revisionista da não presença de Cavaco Silva no seu funeral. "Viagem a Portugal" é reflexo de amor e do encantamento que sentia pelo país, pela sua beleza e cultura, pela classe trabalhadora, espelhada na sua identidade, mesmo que isso significasse ir contra a ideologia do seu partido, contra a maioria religiosa, contra o politicamente correcto. Para o seu espírito inconformado, a morte é pouco relevante. Como diria Saramago, "o fim duma viagem é apenas o começo de outra".

Dulce disse...

Dylan

Muitissimo obrigada por seu ótimo comentário.
Cada pessoa que aqui vem e deixa sua palavra, enriquece este espaço, tornando-o muito melhor.