floquinhos

quarta-feira, 30 de junho de 2010

A nova moradora da casa...

Ela já escolheu seu canto favorito na casa e fica sentada entre o peitoril da janela e o baú.

Faz tempo que minha filha pensa em ter um gato e, no domingo passado, comentando o fato com amigos dela que são veterinários, soube que no hospital veterinário onde o casal trabalha havia uma gatinha que fora entregue para adoção, um animal muito dócil e, segundo eles, o ideal para a casa. Então ontem, depois do trabalho, minha filha resolveu que iria ver a bichana e lá fomos nóa rumo a Bedford, no vizinho Estado de New Hempshire, mais de uma hora rodando pelas auto-estradas do tio Sam, para preencher os papeis de adocão para, só depos, irmos ao Hospital Veterinário da cidade de Nashua (vizinha) retirar a gatinha. Mas valeu a pena... Baby é muito linda! Negra como a noite, o que realça o verde límpido de seus olhos. Delicada, carinhosa, dengosa, como cabe a uma gata, encantou logo a primeira vista. E quando chegamos em casa, solta na sala, fez o reconhecimento do local que seria daí para frente seu lar, andou, voltou, cheirou, e, finalmente, subiu para o peitoril da janela da sala de visitas e lá se deixou ficar, olhando a rua.
E agora, já se sentindo em casa, anda de um lado para o outro na maior calma, mas prefere mesmo é estar perto da gente. Os meninos ainda não a viram porque esta noite dormiram na casa do pai e de lá foram para a escola de verão, mas quando chegarem, logo mais a tardinha, já vão encontrar a "garota" acostumada a casa e muito mais disposta para as brincadeiras.
Assim, esta casa tem uma nova moradora...

6 comentários:

Anônimo disse...

Olá Amiga Dulce,Parabéns, pela Baby,
que como aqui se diz "lhe saiu a sorte grande" com essa família.
Tenho pena de ainda não saber pôr fotos neste espaço (hei-de aprender) porque gostaria de lhe mostrar os amigos com que habito: 2 senhores gatos encontrados na rua.
Depois tenho o Tito um cocker já velhote que encontrei doente e está comigo há 3 anos.E a minha sombra e depois há a rainha da casa, uma Labrador, a Lura, toda negra e que faz terapia a meninos com paralisia cerebral.
Muito aprendemos com os animais!
Peço desculpa por esta conversa longa, mas gostei da sua "prosa" sobre a Baby e achei que tinha que lhe falar tb sobre os meus amigos.
Um abraço de Lisboa
Maria

Dulce disse...

Anonimo

Obrigada, Maria
Na verdade, ter bichos de estimação em casa, foi opção de meus filhos. A Baby, aqui, e o Biil, um Schnauzer miniatura, branco, lá em casa, em SP, ambos pertencem aos meus filhos. Eu, pessoalmente, preferiria não ter animais na casa. É uma questão pessoal, apenas. Mas estando na casa, trato-os com a atenção e o carinho que merecem, que precisam para que se sintam felizes.
Já a minha amiga, vive cercada de seus queridos que lhe fazem companhia, que lhe enfeitam a vida... Que bom, Maria. Gostaria de ver-lhes as fotos. Quem sabe a Maria possa vencer o receio e montar seu blog que, tenho certeza, seria um espaço encantador.
Beijos e uma boa tarde.

Patti disse...

Linda, linda, linda! Ter um animal de estimação é uma bênção.
Parabéns à sua filha pela atitude de recolha dessa menina linda, de olhos verdes.

(E já agora, espreite lá no vídeo do Ares...)

Isa disse...

Ñ posso ter gatos em casa pq sou alérgica ao pelo.
E o meu filho Nuno tb.
Mas acho a Baby muito linda!
Tudo de bom por aí,é o que o meu coração lhe deseja.
Beijo.
isa.

Dulce disse...

Patti

Obrigada! E imagine que ela já anda fazendo travessuras. Ontem a noite, não a encontrávamos em lugar nenhum da casa e já começavamos a ficar preocupados quando a descobrimos enrodilhada em uma das gavetas que ficam sob a cama do Alexander... Os meninos estão numa alegria só, completamente apaixonados por ela.

Impressionante o vídeo lá do Ares; e ve-se o gato tão bem adaptado as suas patas bionônicas!!! Impressionante, mesmo.

Beijos e um bom dia para você

Dulce disse...

Isa

Essas alergias são mais comuns do que se imagina. Conheço várias pessoas que as tem.
Obrigada, minha doce amiga. Tudo de bom para você também.
Beijos e que seu dia seja lindo.