floquinhos

segunda-feira, 10 de maio de 2010

Recolho a noite em minhas pálpebras...


Tomo nos olhos delicadamente

Tomo nos olhos delicadamente
esta noite - jardim de puro tempo
com ramos de silêncio unindo os mundos.

Tudo quanto quisesse aqui se encontra:
nos arroios de estrelas - pelos bosques
onde há risos (e próximos soluços?).

Sinto perfume e orvalho - imagens tênues
que inventa a solidão para fazer-se
de repente saudade. E vejo em tudo

essas cansadas lágrimas antigas,
essas longas histórias sucessivas
com seus berços e guerras - glórias? - túmulos.

Recolho a noite em minhas pálpebras.

(Cecilia Meireles)

7 comentários:

Pitanga Doce disse...

É mesmo assim. Onde há risos podem esconder-se soluços futuros. E tudo cabe numa noite só.

Canta Aznavour, que as "meninas" voltaram à árvore.

beijos Dulce e céu para voar! Ainda bem que aqui não há nuvem de vulcão!

Dulce disse...

Pitanfa Doce

Pois!... Benvindas sejam as meninas que andaram fazendo falta lá na árvore... Em céu azul tem mais é que voar mesmo... e MUITOOOOO.
Beijos, Mila, e linda tarde para você.

M. Lourdes disse...

Amiga Dulce
Regressi com Cecília, após uma interrupção. Cá estou nas visitas aos amigos. Já tinha saudades destes momentos de partilha de vivências e de conhecimentos.
Um beijinho
Lourdes

Dulce disse...

Lourdes

Muito bom te-la de regresso, minha amiga. E quem melhor que Cecilia para um momento assim?

Beijos e boa noite para você.

Pitanga Doce disse...

Dulce, mais uma vez te levei a música. Desta vez foi o Aznavour. A culpa foi da novela. Mas é que amanhã é dia 12. (deux mois)

boa noite amiga

Dulce disse...

Pitanga

Já sabe que pode levar o que bem quiser aqui do Prosa, Mila.
Deux mois? Déjà?,,, Le temps paase si vite, n`est-ce pas?
Beijos e bom dia procê.

Pitanga Doce disse...

Vite, mas cherie? Quelque-fois!

bisous.