floquinhos

sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

Poesia para uma tarde cinzenta...


Triste encanto

Triste encanto das tardes borralheiras
Que enchem de cinza o coração da gente!
A tarde lembra um passarinho doente
A pipilar os pingos das goteiras...

A tarde pobre fica, horas inteiras,
A espiar pelas vidraças, tristemente,
O crepitar das brasas na lareira...
Meu Deus... o frio que a pobrezinha sente!

Por que é que esses Arcanjos neurastênicos
Só usam névoa em seus efeitos cênicos?
Nenhum azul para te distraíres...

Ah, se eu pudesse, tardezinha pobre,
Eu pintava trezendos arco-íris
Nesse tristonho céu que nos enconbre...

(Mario Quintana)

22 comentários:

Graça disse...

Oi, Dulce!!!

Essa estranha e doce nostalgia me faz voltar a um passado não muito distante, o da minha infância, quando eu simplesmente 'amava' essas tardes melancólicas e cinzentas...

Amei!!!
É verdade que conheço Quintana, mas é bem verdade tb que a cada leitura a gente encontra algo especial, diferente e novo, e que fala bem perto, ou melhor, bem dentro de nosso coração!

Obrigada por me proporcionar isso, hoje.

Fiquei extremamente feliz!!!

Bjss e bom final de semana, amiga!

Dulce disse...

Graça

Sempre amei essas tarde, parece que fico mais sensível, e é quando posso chegar mais fundo lá dentro de mim...
E Quintana conheceu bem a alma humana e a mostra em seus versos com ternura e verdade.
Beijo, bom final de semana.

Lídia Borges disse...

Tão bonito!

Mário Quintana é uma doçura:

"Ah, se eu pudesse, tardezinha pobre,
Eu pintava trezentos arco-íris
Nesse tristonho céu que nos encombre"...

L.B.

Pitanga Doce disse...

Minha querida, se a tarde está cinzenta por aí, aqui cai o maior pé d'água. Nooossa! Não consigo ver o outro lado da rua e tinha um jantar legal para ir.

Se alguém pensou que a chuva caiu toda aí, se enganou. Ainda sobrou pra cá!

Deixa ver onde estão as galochas e o bote.

Dulce disse...

Lidia Borges

Lindo demais, não?
Beijos, boa noite e bom final de semana

Dulce disse...

Pitanga

Nem fale nessas chuvaradas que andam despencando por aqui - e agora por ai? - estão causando o maior problema...
Ah, lembrei agora do tempo que que a chuva nos fazia usar galochas... rs
beijos

M. Lourdes disse...

Dulce
Pelo que percebi a chuva deu tréguas por aí. Aqui também mas de vez em quando o céu fica muito farrusco.
Lindo seoneto de Mário Quintana.
Bom fim de semana.
Beijinhos

Dulce disse...

Lourdes

Infelizmente as chuvas ainda permanecem como serias ameaças aqui em SP e pelo que parece neste momento, estão fortes no Rio também, só espero que não ocasionem lá o que aconteceu por aqui.
A Natureza parece andar meio zangada...

Beijo, uma boa noite e um lindo final de semana para você

Duh Franzen disse...

"Triste encanto das tardes borralheiras
Que enchem de cinza o coração da gente!"

Sempre bom ler Quintana, com seus belos textos que nos enlevam a alma.
Paz e Luz pra vc!!
Bjos

Graça Pereira disse...

Houve um tempo em que gostava das tardes cinzentas e borralheiras..mãos entrelaçadas, um sol dentro de nós e os pincéis nas mãos para pintar de todas as cores o céu ao nosso alcance...
Até o poeta acha triste esta "tardezinha pobre" e se pudesse, pintaria um arco-íris (não um, mas trezentos) no cinzento das horas.
Gosto de Mário Quintana...acho que ele entende bem a nossa alma e as nossas nostalgias.
Um beijo e bom fds.
Graça

Dulce disse...

Graça Pereira

Tardes cinzentas e frias podem bem ser de aconchego e ternura quando se tem um tempo de amor...
Beijo e bom final de semana

Dulce disse...

Duh Franzen

Sempre Quintana, ternura em forma de versos...
Beijos e bom dinal de semana

Osvaldo disse...

Dulce;

Quando o Mário escreve com tanto sentimento, não existem nuvens que possam esconder o Sol.
Diria mais, que com tão belo poema essa tarde sinzenta ficou mais ensolarada.

bjs, Dulce e bom fim de semana.
Osvaldo

Adolfo Payés disse...

Me quedo en silencio ante tus hermoso versos..


Un abrazo
Saludos fraternos..

Que tengas un feliz fin de semana..

Maria Emília disse...

É verdade que a cor do céu mexe muito com o nosso estado de espírito.
É verdade também que fiquei triste por ter perdido a sua foto nos meus seguidores, com a mudança do meu blog.
Um beijinho,
Maria Emília

Pitanga Doce disse...

Dulce, você é "do tempo da Rosa" lá na árvore?

Dulce disse...

Osvaldo

Tão doce missão têm os poetas!... Iluminam nossos dias, encantam nossas noites, falam por nós, ensinam-nos coisas da alma...
Beijos e um lindo sábado para você

Dulce disse...

Adolfo

Também sinto-me assim diante de uma poesia, também sempre me calo diante dos poetas, meu amigo... Vocês, poetas, sempre me envolvem com o encantamento de suas palavras. Poetas são seres iluminados que falam por nós, simples mortais que...
Beijos, obrigada e lindo final de semana para você também

Dulce disse...

Maria Emilia

Não sei porque a foto havia sumido, mas já está lá volta, querida amiga.
Seu espaço está lindo, com sua nova roupagem, acolhedor como sempre, um momento de paz que chega com a linda música que nos recebe logo a entrada.
Beijos e bom final de semana

Dulce disse...

Pitanga

Bom dia, menina!
Acho que não, Mila, quando cheguei a árvore a entrada era por uma linda praia.
Beijos

Pitanga Doce disse...

Dulce logo mais te mando as explicações sobre a Rosa e as luzes da cobertura. Olha, vai à Maripa do O Mar Me Quer e vê o presente que ela me deu. Uma querida que eu sei que posso contar sempre, como contigo.


Ontem tive que esperar a água baixar para sair e fiquei presa no trânsito. Mas fui à dança. hehe

Dulce disse...

Pitanga

Fico aguardando, então.
Vou lá ver seu presente que sei é muito merecido.
Com ou sem água, minha amiga, o importante é que tenha tido bons momentos, não é? rs...
Veja no post acima o resultado daquela música lá na árvore... rs...
beijos