domingo, 31 de janeiro de 2010

Cecília Meireles - Poesia do Coração

Canção

Não sou a das águas vista
nem a dos homens amada;
nem a que sonhava o artista
em cujas mãos fui formada.
Talvez em pensar que exista
vá sendo eu mesma enganada.

Quando o tempo em seu abraço
quebra meu corpo, e tem pena,
quanto mais me despedaço,
mais fico inteira e serena.
Por meu dom divino, faço
tudo a que Deus me condena.

Da virtude de estar quieta
componho o meu movimento.
Por indireta e direta
perturbo estrelas e vento.
Sou a passagem da seta
e a seta, - em cada momento.

Não digas aos que encontrares
que fui conhecida tua.
Quando houve nos largos mares
desenho certo de rua?
E de teres visto luares,
que ousarás contar da lua?

14 comentários:

Silvana Nunes .'. disse...

Obrigada pela linda poesia num domingo a tarde. Muito bem escolhida.

Amapola disse...

Boa tarde.
Parabéns pelo seu lindo blog.
Essa poesia de Cecília Meireles é mararilhosa...
No curso primário, convivi com as obras dela e do Olavo Bilac.
Um abraço.

Maria Emília disse...

A Lua presta-se a tudo, não é? Neste momento é aqui Lua Cheia e nós costumamos dizer que não há luar como o de Janeiro. A noite faz-se dia.
Um beijo,
Maria Emília

heli disse...

Dulce.
Vim visitar seu cantinho e deparei-me com esse poema tão lindo da nossa Cecília Meireles.É sempre gratificante estar aqui contigo neste continho em que nos acolhe com especial carinho.
Boa semana, muita Paz,
beijos.
Heliane

M. Lourdes disse...

Dulce
Que bom pasar por aqui antes de deitar e ler uma bonita poesia de Cecília Meireles.
Boa semana.
Beijinhos

Dulce disse...

Silvana Nunes

Sou eu quem agradece por sua visita a este cantinho.
Muito obrigada, beijos e bom dia

Dulce disse...

Amapola

Muito obrigada, seja bem vinda a este espaço.
Cecilia tem o poder de encantar a todos, independente da idade, não é?
Beijos, obrigada e bom dia

BEL disse...

Olá querida Dulce

Já tinha saudades de visitar os amigos, depois desta longa ausência forçada.

Como sempre lindo poema desta poetisa maravilhosa

beijos

Bel

Dulce disse...

Matia Emília

Ah, a lua!... Sempre um momento de encanto quando ela brilha inteira lá no céu. Esta noite também a tivemos linda por aqui, rasgando as nuvens que tem coberto a cidade.
Beijos e bom dia

Dulce disse...

Heli

Sempre um prazer enorme te-la por aqui, minha amiga. Muito obrigada por vir.
O carinho com que os acolho é bem igual ao que recebo de vocês...
Beijos e bom dia

Dulce disse...

Lourdes

Obrigada!
Faço dos Meus Poetas do Coração uma forma de carinho com que pretendo envolver os amigos e leitores do Prosa. Que bom que gostou!...
Beijos e bom dia

Dulce disse...

Bell

Estou muito feliz em recebe-la. Espero que esteja tudo bem com você. Cecilia é sempre mensagem de boas vindas, não é? Por isso ela anda sempre por aqui, para que meus amigos se sintam acolhidos.
Beijos e bom dia

JCesar disse...

simplesmente...amo cecilia meireles. No ultimo domingo..31 de jan, em uma parada em uma loja de revistas do shopping...'aproveitei' para dar uma espiadela no display de poket´s book. Queria ver se haveria algo de Dostoievski. Mas...de 'cara' encontrei um de Cecilia Meireles com organização do Carpinejar... e logo atras um de Marta Medeiros. Li as 4o.capas (os valores são desestimulantes, eu que costumo garimpar Sebos e não raro sempre encontro material atual, otimo estado de conservação e preços modicos). Mas...foi um nectar, tal como um 'expressinho'.
Demais, o post. bjim.
J.Cesar

Dulce disse...

JCesar

Ah, essas paradas nas livrarias são tudo de bom. É... os preços andam meio salgados, mesmo, mas sempre dá para sentar um pouco por ali e desfrutar da companhia de nossos poetas ou escritores favoritos.
Beijos e boa tarde