floquinhos

sábado, 13 de fevereiro de 2010

Fernando Pessoa nesta manhã de sol...


Abrigo no peito, como a um inimigo que temo ofender,
Um coração exageradamente expontâneo
Que sente tudo o que eu sonho como se fosse real,
Que bate com o pé a melodia das canções que o meu pensamento canta,
Canções tristes, como as ruas estreitas quando chove

(Álvaro de Campos)

2 comentários:

Agulheta disse...

Querida Dulce. A foto nos dá a ideia de ser uma viela da velha Lisboa,que tão bonito é,e onde um poema de Pessoa,solta a saudade,desta tão linda cidade.e mesmo que seja de amor,eles só podem ser do mestre e senhor da poesia.
Beijinho e bfs e b carnaval na cidade maravilhosa,neste caso S. Paulo.
Lisa

Dulce disse...

Agulheta

Parece sim, aliás, vi ruelas assim em mais de uma cidade em minhas visitas a Portugal e são lindas, são quase uma volta ao passado.
Beijos, obrigada e bom Carnaval para você também.
Deixo SP amanhã, vou ficar esses dias de Carnaval com meus amores lá de Campinas, prefiro o sossego... rs... mas continuo por aqui.