floquinhos

terça-feira, 7 de dezembro de 2010

A um ausente...


Gosto muito desde poema, por isso recoloco-o hoje aqui, para vocês, amigos e leitores do Prosa.


A um ausente


Tenho razão de sentir saudade,
tenho razão de te acusar.
Houve um pacto implícito que rompeste
e sem te despedires foste embora.
Detonaste o pacto.
Detonaste a vida geral, a comum aquiescência
de viver e explorar os rumos de obscuridade
sem prazo sem consulta sem provocação
até o limite das folhas caídas na hora de cair.

Antecipaste a hora.
Teu ponteiro enlouqueceu,
enlouquecendo nossas horas.

Que poderias ter feito de mais grave
do que o ato sem continuação, o ato em si,
o ato que não ousamos nem sabemos ousar
porque depois dele não há nada?

Tenho razão para sentir saudade de ti,
de nossa convivência em falas camaradas,
simples apertar de mãos, nem isso, voz
modulando sílabas conhecidas e banais
que eram sempre certeza e segurança.

Sim, tenho saudades.
Sim, acuso-te porque fizeste
o não previsto nas leis da amizade e da natureza
nem nos deixaste sequer o direito de indagar
porque o fizeste, porque te foste.


(Carlos Drummond de Andrade)


10 comentários:

Pitanga Doce disse...

Dulce, o layout tá lindo! O poema é triste e verdadeiro, quando o adeus se interpõe sem pedir licença.

Beijos em tarde quente, de vento que leva tudo...assim espero.

Dulce disse...

Pitanga Doce

Obrigada, menina!...
É, esse poema cala na alma...

Que o vento leve, pois, os desenganos, as tristezas, e que bons ventos tragam a bonança.
Beijos e em dia enfarruscado, mais ainda sem neve (ufa!).

ValCruz disse...

Uau! Mudanças sempre são bem-vindas!!! Ainda mais mudanças que embelezam mais ainda nossa vida... Parabéns pelo novo layout, encatandador como vc!!!

Quanto a poesia, muito marcante! Não havia lido ainda em lugar nenhum... Tinha que ser aqui com vc!!!


Grade beijo querida Dulce! Que Deus esteja contigo e teus amores...

Dulce disse...

Val Cruz

Obrigada, Val. A casa deve, de vez em quando, ser redecorada, né, não? rs... Que bom que gostou. Obrigada.
É uma poesia que gosto muito, que vai lá no fundo da alma... É Drummond numa poesia feita (talvez) pela partida da filha, pela dor da perda... Não tenho certeza, apenas acho que é.
Beijos, obrigada e uma linda tarde para você.

Paloma disse...

DULCE, muito sentida esta poesia,
principalmente quando diz:¨Tenho ra
zão para sentir saudade de ti¨.

Beijos.

Dora Regina disse...

Que lindo o blog de roupinha nova! Gostei muito!!
Tudo perfeito por aqui, layout, imagens e poesia...
Um grande abraço!

Dulce disse...

Paloma

Sim, é mesmo muito sentida... Muito linda.
Beijos e uma boa noite para você.

Dulce disse...

Dora Regina

Obrigada! Sempre preparamos a "casa" do melhor jeito possível para receber os amigos e quando eles gostam do ambiente, ficamos felizes. Obrigada.
Beijos e uma ótima noite para você.

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Regresso a casa depois de uma rápida escapada ao hemisfério sul e quando chego aqui, deparo-me com este novo e belíssimo look. Está uma beleza, Dulce. Parabéns!

Dulce disse...

Carlos Barbosa de Oliveira

Obrigada, Carlos.

Percebi, pelos seus posts, ou melhor, por um de seus posts (Desde Mar del Plata...) que estava por lá. Espero que tenha tido um tempo feliz lá pelas plagas portenhas, que lhe são tão queridas.
Benvindo de volta, meu amigo.