floquinhos

segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

Chuva, vento, luzes...

Diante de minha janela, as luzes de Natal...

Acordo, na madrugada, com o barulho da chuva batendo forte na vidraça e o zunido do vento entre as árvores do bosque. Imagino um espetáculo da natureza acontecendo lá fora e não resisto a levantar-me da cama, apesar do frio e ir espiar pela janela a chuva caindo sobre a cidade, os galhos das árvores curvando-se diante da força do vento. Mas é tempo de Natal, e tenho diante de meus olhos todas as cores e luzes que enfeitam os jardins, dançando ao vento, num espetáculo ainda mais belo porque menos assustador. E fico ali, perdida em pensamentos, absorta, mergulhada dentro de mim. A chuva sempre teve esse poder, o de fazer com que me recolha, com que deixe aflorar minha alma num momento mais nostágico, mais livre... E é assim que volto para a cama, em longa conversa comigo mesma, tentando afugentar o tantinho de tristeza que um momento assim sempre deixa em mim. E a madrugada foi caminhando pela noite, e fez-se dia, um dia enfarruscado, molhado, cinzento, dia que me devolve `a realidade...

8 comentários:

Pitanga Doce disse...

Adoro estar deitada e ouvir o barulho da chuva. Por aqui fica difícil, que o ar condicionado não deixa, mas lá? Lá ouvia e sonhava...

Tens contigo a magia do Natal, que traz junto o sorriso e não só.

Beijos, amiga Dulce.

PS: Estou quase nova!

ValCruz disse...

Dependendo do nosso estado de espírito, parece a chuva invade a alma da gente, deixando-a tão molhadinha, que talvez seja por isso que às vezes ela escorra um pouco, ou muito, por nossos olhos. E depois, como você mesmo sabe e sente o dia ficar meio cinzento... A realidade nos acorda, mesmo estando com preguiça, e seguimos em tempos chuvosos, tempos quentes, tempos frios, tempos coloridos, tempos cinzentos ou gelados branquinhos... Seguimos.


Beijos minha flor! Fica bem tá! Todos nós seres humanos em nossa perfeição imperfeita nos sentimos vez por outra assim.

Dulce disse...

Pitanga Doce

Que bom, menina, que já está novinha em folha (ou quase, né?)

Dormir com chuva é bom demais... rs...
Ah, a magia do Natal!... ela realmente me envolve, apesar de ser também uma época de muita saudade.
Beijos, minha amiga.

Dulce disse...

Val Cruz

Pois é, minha amiga, seguimos sempre, porque assim é preciso... E mesmo decididos a faze-lo, não há tempo ruím que impeça...
Beijos e uma boa tarde para você.

Paloma disse...

DULCE, a chuva também exerce sôbre
mim um poder estranho. Principalmen
te a noite, quando a vejo cair con-
tra a luz, no poste da rua. Sempre
me vem a mente um nome e uma sauda-
de.

Beijos

Dulce disse...

Paloma

Acho que é porque a gente abre a guarda diante da beleza do momento e então a alma libertando-se de suas amarras, impostas por nós mesmas, vem a tona e toma conta de nossos pensamentos, de nossos sentimento... Aí, minha amiga, é só saudade...
Beijos

Isa disse...

Foto linda,minha querida Dulce!
Tenho o meu Nuno e Sebastião doentitos. É uma constipação,bem sei,mas o meu Filho fica de mal com o Mundo quando se constipa...:):)
Vamos lá ver como se aguentam.
Mais uma vez me encantei a lê-la.
Sério. Adoro qd escreve.
Beijo.
isa.

Dulce disse...

Isa
Obrigada, querida amiga. Espero que o seu querido Nuno já esteja bem. Com os cuidados da mamã, com seu carinho, sara num instantinho, vai ver.
Beijos e melhoras para ele.