floquinhos

terça-feira, 31 de agosto de 2010

No silêncio da madrugada, saudade imensa...


Acordo em plena madrugada, assim, por nada, como acontece com quem percorre há muito tempo os longos caminhos da vida. Sem sono, vou até a janela. Há luar, há estrelas, há um longo silêncio que se derrama sobre o bosque, sobre a cidade, por sobre minha alma... Esse mesmo silêncio que pode trazer paz ou guerras interiores, dependendo muito de como nos estejamos sentindo, de como nos situemos na vida. Um silêncio que pode acalmar ou que pode angustiar, um silêncio denso, que vai envolvendo a noite.
E fico por uns momentos como que "ouvindo" esse silêncio que ecoa dentro de mim. Uma paz que parece infindável vai me cercando, fecho meu olhos e me deixo levar pelos caminhos do tempo, da memória. E lá estamos nós, caminhando de mãos dadas, como se a chuva fina que caia sobre nossas cabeças fosse minusculas pétalas de flores silvestres. E num dado momento. você para, toma-me em seus braços e, olhando dentro dos meus olhos, sussura, pela primeira vez, docemente, um "eu te amo"... E como que por encanto, a vida enche-se, então, de cores, a rua modesta cobre-se de flores, o ar parece trazer uma linda e doce canção de amor aos nossos ouvidos, aos nossos corações... E foi exatamente nesse momento que começamos nosso "caminhar juntos" pela vida a fora...
Volto ao presente e ao silêncio da madrugada com os olhos cheios de lágrimas, com um soluço engasgado na garganta, com uma saudade imensa dentro de mim... Saudade de tantas décadas de convivência, saudade de tantos momentos vividos, saudade de você, saudade de mim...

10 comentários:

Ivone disse...

Hoje acordei com uma saudade no peito...saudades do tempo de criança...mas o tempo não volta porque se voltasse com certeza iri me prender no meu passado de inocência.

Beijão querida

Dulce disse...

Ivone

Creio que acontece com todo mundo. Um dia ou outro semre acordamos com o peito apertado pelas saudades... da infância, da juventude, de um amor, de um parente querido, de um amigo ou até de nós mesmos...
Beijos e um ótimo dia para você.

Paloma disse...

Dulce,eu entendo você,porque também
vivo e convivo com uma saudade imen
sa.Saudade de mim,dele e,principal-
mente,de nós dois.Queria poder revi
ver um minutinho,apenas,do passado.
Beijos

Isa disse...

É verdade,há dias assim!
A sua Saudade vai por um caminho que trilhou,feliz.
A minha vai por outro caminho,o da Infância e juventude,muito FELIZ!
Mas ñ posso ser injusta pq.tb fui muito amada.
Beijo.
isa.

Maria Teresa disse...

Dulce:
Essa saudade que dói também ilumina o caminho e o torna colorido, como você mesma disse. Essa saudade ficou aqui por escrito e tingiu o pensamento de doçura.
Beijo carinhoso

Dulce disse...

Paloma

São momentos que vem e vão e deixam em mim a certeza de que valeu a pena cada passo desse caminho.
Beijos e uma boa noite

Dulce disse...

Isa

O fato, minha querida amiga, é que todas nós temos as nossas saudades como testemunha de que vivemos.
Beijos e uma boa noite

Dulce disse...

Maria Teresa

Sim, é verdade. É uma saudade que envolve docemente...
Obrigada, beijo e uma linda noite para você.

Dora Regina disse...

Dulce, ultimamente ando me sentindo assim, com o coração apertado de saudades...
Lindo seu texto.
Um abraço!

Dulce disse...

Dora Regina

Momentos que foram felizes voltam em forma de saudade, nem sempre doce, nem sempre apaziguando a alma. Mas foram momentos lindos e bem vividos, por isso os lembramos, por isso os guardamos dentro de nós.
Beijos, obrigada e um bom dia.