floquinhos

domingo, 8 de agosto de 2010

Dá-me a tua mão...


Dá-me a Tua Mão

"Dá-me a tua mão: Vou agora te contar como entrei no inexpressivo que sempre foi a minha busca cega e secreta. De como entrei naquilo que existe entre o número um e o número dois, de como vi a linha de mistério e fogo, e que é linha sub-reptícia. Entre duas notas de música existe uma nota, entre dois fatos existe um fato, entre dois grãos de areia por mais juntos que estejam existe um intervalo de espaço, existe um sentir que é entre o sentir - nos interstícios da matéria primordial está a linha de mistério e fogo que é a respiração do mundo, e a respiração contínua do mundo é aquilo que ouvimos e chamamos de silêncio."

(Clarice Lispector)

6 comentários:

Maria Teresa disse...

Dulce:
Acredito que seja essa respiração do mundo que nos dê cotidianamente a ideia de que pouco ou nada conhecemos, que sempre há o que buscar, o que contemplar. Texto maravilhoso.
Beijos

Osvaldo disse...

Dulce;

Quase se poderia intitular este belo poema de Clarice de "O Grito do Silêncio".

Lindo, muito lindo.
Espero que as férias estejam sendo com muita alegria.

bjs, Dulce.
Osvaldo

Dulce disse...

Maria Teresa

Ainda e sempre fico maravilhada com os textos de Clarice, com sua sensibilidade, com sua alma.
Beijos

Dulce disse...

Osvaldo

um grito forte, estridente, que chega ate a alma...

As férias continuam bem, sim, muito obrigada. Sempre se está bem quando se está com quem se ama, não é mesmo?

Beijos e uma boa noite.

Isa disse...

É verdade,Dulce,Clarice além do poder de comunicar tem uma sensibilidade que nos toca.
Beijo.
isa.

Dulce disse...

Isa

Beijo para você também, e uma boa noite.