floquinhos

terça-feira, 13 de julho de 2010

O que te posso dar...


Canção na plenitude

Não tenho mais os olhos de menina
nem corpo adolescente, e a pele
translúcida há muito se manchou.
Há rugas onde havia sedas, sou uma estrutura
agrandada pelos anos e o peso dos fardos
bons ou ruins.
(Carreguei muitos com gosto e alguns com rebeldia.)

O que te posso dar é mais que tudo
o que perdi: dou-te os meus ganhos.
A maturidade que consegue rir
quando em outros tempos choraria,
busca te agradar
quando antigamente quereria
apenas ser amada.
Posso dar-te muito mais do que beleza
e juventude agora: esses dourados anos
me ensinaram a amar melhor, com mais paciência
e não menos ardor, a entender-te
se precisas, a aguardar-te quando vais,
a dar-te regaço de amante e colo de amiga,
e sobretudo força — que vem do aprendizado.
Isso posso te dar: um mar antigo e confiável
cujas marés — mesmo se fogem — retornam,
cujas correntes ocultas não levam destroços
mas o sonho interminável das sereias.

(Lya Luft)

8 comentários:

Pitanga Doce disse...

Ai Dulce que coisa tão linda e verdadeira, mulher!

A alusão a "um mar antigo e confiável" diz tudo.

beijos, amiga, e Sol pra ti.

Dulce disse...

Pitanga Doce

Bom dia, minha amiga.
Nas palavras de Lya Luft todo o sentimento de tantas mulheres que só se encontraram verdadeiramente na maturidade...

Beijos, obrigada e muito azul em seu dia.

LOURO disse...

Olá amiga Dulce!

Linda postagem...Sublime este texto/poético...Parabéns pela escolha..!
Beijinhos de carinho e amizade,
Lourenço

Paloma disse...

Dulce,este poema é lindo.Os senti-
mentos na maturidade. Faz lembrar
a cena de um filme inesquecivel:
¨Passaros Feridos¨,quando a perso-
nagem fala sobre os mesmos senti-
mentos da juventude que permanecem
na maturidade. Você viu este filme?
Beijos.

Dulce disse...

Louro

Muito obrigada, meu amigo. Lya Luft é uma mulher muito lúcida e seus textos são bem verdadeiros.
Obrigada, beijinhos e uma boa noite para você.

Dulce disse...

Paloma

Li o livro e assisti a mini-séris - com Richard Chamberlain (o padre) e Várbara Stanwyk (a mulher madura e apaixonada). Uma linda história.
Beijos e boa noite para você.

Ana Martins disse...

Lindo Dulce!

Beijinhos,
Ana Martins
Ave Sem Asas

Dulce disse...

Ana Martins

Muito obrigada, minha amiga.
beijinhos para você, também.