floquinhos

segunda-feira, 28 de março de 2011

Para começar a semana...

A poesia de Cacília Meireles, pura nostalgia...


Assim moro em meu sonho

Assim moro em meu sonho,
como um peixe no mar.
O que sou é o que vejo,
Vejo e sou meu olhar.

Água é o meu próprio corpo,
simplesmente mais denso.
E o meu corpo é minha alma,
e o que sinto é o que penso.

Assim vou no meu sonho.
Se outra fui, se perdeu.
É o mundo que me envolve?
Ou sou contorno seu?

Não é noite nem dia,
não é morte nem vida;
é viagem noutro mapa,
sem volta nem partida.

Ó céu da liberdade,
por onde o coração
já nem sofre, sabendo
que bateu sempre em vão.

(Cecília Meireles)

4 comentários:

Isa disse...

Embora ñ esteja frio,chove imenso
em Lisboa.
Vim saber de si e ler Cecília Meireles de quem mt gosto.
Tenho a Maria a dormir.
As crianças são deliciosas quando
dormem...(risos).
Beijo.
isa.

Agulheta disse...

Querida Dulce! Que tudo esteja bem consigo amiga.Eu adoro a poesia de Cecília,muito parecida na escrita com a nossa Sophia,falam muito do mar,sonhos e liberdade,gosto muito. Mudei mas continuo com o meu blog por aqui,até um dia pensarem em mo retirar de novo,agora tenho dois noutro servidor.
Beijinho de amizade

Dulce disse...

Isa

Uma das coisas que mais me comovem é uma criança a dormir... Lindo demais...
Beijos querida amiga, e uma boa noite para você

Dulce disse...

Agulheta

Está tudo bem, obrigada, Lisa. e com você?
Já visitei seu novo espaço e gostei muito, viu? Mas espero que não tirem nenhum, pois todos são lugares de se estar bem demais...
Beijos e uma boa noite para você