floquinhos

quarta-feira, 30 de março de 2011

Mãos que derramam carinho...

José Mauro de Vasconcelos, um dos mais doces escritores de meu coração, abre seu livro "Rosinha minha canoa" com uma explicação:


"ANTIGAMENTE, quando escrevia, deixava entrever minha ternura mas com muito medo. Queria que todos os meus romances cheirassem a sangue e viessem rotulados com o carimbo de: Machos pra Burro. Foi preciso que chegasse aos quarenta anos para perder todo o terror de minha ternura a derramar por minhas mãos que queimam de carinho (quase sempre sem ter ninguém para o receber) a simplicidade deste meu livro. Leia-o quem quiser. De uma coisa estou certo: não tenho nada de que me desculpar perante o público. Apresento, pois, ROSINHA, MINHA CANOA"

E havia tanta ternura no coração desse homem que transbordou para além de sua obra, para além de seu tempo...  Ternura expressa magistralmenete em "Meu pé de laranja lima", um dos meus livros de cabeceira... Hoje, sem mais esta nem aquela, resolvi reler (mais uma vez)  Rosinha minha canoa e, mais uma vez, fui tocada pelas palavras com que José Mauro apresenta seu livro, por isso trouxe-as para o Prosa. E, para aqueles que não se envergonham da ternura que os invade, um convite para voltar a ler esse escritor lindo, doce, que já foi designado como piegas pela crítica literária, mas que eu, derramada em ternura, sempre acolhi com carinho de leitora atenta e fiel. 


10 comentários:

Isa disse...

Tb eu,Dulce!
Vou relê-lo.
"Meu pé de laranja lima",perdi a conta ao nº de vezes...
Mas este não o reli.
Será minha próxima leitura.
Me aguarde.Logo direi.
Beijo.
isa.

Patti disse...

Li e reli todos os seus livros. Sempre quis escrever com a ternura dele.
Esta Rosinha é de uma complexidade emocional, de deixar qualquer um apaixonado por tal "personagem".

Dulce disse...

Isa

Uma delicia de leitura, não é mesmo, minha amiga?
Beijos e uma boa noite para você.

Dulce disse...

Patti

Ah, mas eu também sonhei um dia poder escrever como ele, mas não passei nem perto... rs...
Beijos e uma boa noite

Paloma disse...

DULCE, li ¨Meu pé de laranja lima¨,que é um clássico da literatura brasileira. ¨Rosinha,minha canoa¨, eu não conhecia. Mas, vou ler.

Beijos.

Dulce disse...

Paloma

Espero que goste.
Beijos e uma boa noite para você.

ValCruz disse...

Vou te contar um segredo... risos. Meu pé de laranja lima foi o primeiro livro que li quando criança, dado por miha tia, que é professora. E em seguida li O pequeno príncipe, dado por ela também. A leitura me foi apresentada por ela, minha mestre particular. E ainda ela me tomava a lição... risos, pra ver o que eu tinha achado da obra. Era muito divertido, bons tempos!!


Dulce, tenho um carinnho muito grande por vc, eu acho engraçado isso... risos. É como se eu já falasse contigo minha vida toda.


Grande beijo e até mais!!

Dulce disse...

ValCruz

São dois livros muito lindo que, lidos a infância tem um sabor e lidos depois, nas diferentes etapas da vida vai mudando de conotação, sem nunca perder a beleza...

Val, você é uma pessoa de uma delicadeza extrema, gentil, carinhosa, amiga... Muito obrigada por esse carinho que me enternece.

Beijos e um lindo final de semana para você.

Valeria Aguiar Peixoto disse...

Dulce, li este livro há uns 35 anos atrás e não lembrava o autor por nada desse mundo, apesar de nunca tê-lo esquecido!!! Queria muito lê-lo novamente. Qual é a editora? Será que alguém pode me ajudar?

Valéria Aguiar Peixoto disse...

Dulce, li esse livro há uns 35 anos e nunca me esqueci, porém não lembrava o autor... Queria muito poder relê-lo, mas também não sei qual é a editora. Será que alguém pode me ajudar?