floquinhos

quinta-feira, 17 de março de 2011

Das saudades...


Hoje acordei com saudades... Saudades de mim, do meu gargalhar cristalino na alegria da vida, do riso fácil e ameno a iluminar meu olhar, da alegria de sua presença, do seu carinho, dos seus braços, da sua voz... Saudades de você... Saudades de mim, quando o tinha comigo...

6 comentários:

Maria Teresa disse...

Dulce:
Esses momentos de saudade são bem paradoxais: dão um certo aperto por dentro, mas também arejam a alma, fazendo-a voar alto e viver uma alegria boa, daquelas que têm todas as cores de rainbow, cantado aqui.
Beijos

Dulce disse...

Maria Teresa

Assim é!... Dias há em que chegam amenas, doces, companheiras... Dias há em que chegam rasgantes, doloridas...
Beijos e um bom dia

Isa disse...

Um mimo meu,para si,querida Dulce.
São saudades que chegam a magoar!
Beijo.
isa.

Dulce disse...

Isa

Obrigada, minha terna amiga. Seu doce coração tem sempre um afago para acalentar os amigos...
Beijos e obrigada.

Pitanga Doce disse...

Quando "ela" bate, é a valer. E nós, pobres mortais, temos que andar por aí fazendo de conta que "ela" não nos toca.

Beijos Dulce. Aqui todo o fim de tarde chove. Depois é o que se vê...textos como aquele que está lá e já viste. Quem segura?

Dulce disse...

Pitanga Doce

Pois é, minha amiga, e ainda mostrar um sorriso no rosto...

Mas eu adorei o texto, Pitanga, puro sentimento, alma exposta, terno desabafo... Segurar? Para que? Os mais belos textos sempre foram escrito com a alma afogada, minha amiga...

Beijos