floquinhos

quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

Onde se acha a minha vida?...



Pergunto-te onde se acha a minha vida.
Em que dia fui eu. Que hora existiu formada
de uma verdade minha bem possuída

Vão-se as minhas perguntas aos depósitos do nada.

E a quem é que pergunto? Em quem penso, iludida
por esperanças hereditárias? E de cada
pergunta minha vai nascendo a sombra imensa
que envolve a posição dos olhos de quem pensa.

Já não sei mais a diferença
de ti, de mim, da coisa perguntada,
do silêncio da coisa irrespondida.



(Cecília Meireles)

10 comentários:

Isa disse...

Às vezes "ficamos assim"nos perguntando coisas inexplicáveis!
E a resposta?
Será preciso recebê-la?
Beijo.
isa.

Dulce disse...

Isa

Certamente não, minha amiga... Mesmo porque, quase nunca temos resposta para algumas perguntas.
Beijos e um bom dia.

Pitanga Doce disse...

"Pergunto-te onde se acha a minha vida."


Mas eu sei...


Bom dia, Dulce.

Dulce disse...

Pitanga Doce

Muito bom dia, minha querida amiga...

Que bom que sabe, menina... rs...
Beijos

ValCruz disse...

Os poemas são maravilhosos, e eu não tenho dúvida alguma sobre esse gosto por poesia.

Essa questão última da palavra irrespondida, me faz rir... Não pelo poema que fala de um sentir; mas do meu filho Heitor... que fala algumas coisas engraçadas do tipo: " Mãe, por que não, não é resposta?... Risos, porque tá "IRRESPONDIDO" - ELE QUE FALOU ISSO, e eu achei engraçado. Olha só como são as coisas!



Grande beijo querida Dulce!

Dulce disse...

Val Cruz

Viu só, Val?... Seu pequeno Heitor sabe das coisas... rs... E está mesmo "irrespondido", ora... rs...
As crianças são maravilhosas, em seu jeito de ser, de ver as coisas, de contestar...
Beijinho pra ele e pra você que, como todas as mães, acaba "aprendendo" enquanto ensina... rs...

Paloma disse...

DULCE, há questões que,por mais que
procuremos respostas, não encontra-
mos.

Beijos

Dulce disse...

Paloma

É verdade... muitas vezes não encontramos mesmo uma resposta.

Beijos

AFRICA EM POESIA disse...

DULCE


Deixo um pouco da minha Ria...

RIA

Ria de Aveiro

Tão pouco te tenho cantado

Tão pouco te tenho escrito

E tu Ria...

Cheia de beleza

Cheia de canais

Com águas azuis e belas

Vais esperando que te cante

Que fale ao mundo

Da tua beleza sem fim

Dos teus barcos moliceiros

Coloridos e acolhedores

Do teu Rossio...

Da tua gente...

E da tua beleza...

Linda Ria de Aveiro.


LILI LARANJo

Dulce disse...

Africa em Poesia

Obrigada, Lili, é muito linda essa sua Ria. Já havia me encantado com ela lá no seu Africa em Poesia e vejo-a agora aqui, para maior encantamento...
Muito obrigada, beijos e uma boa noite