floquinhos

segunda-feira, 16 de fevereiro de 2009

UM FINAL DE SEMANA E TANTO...


A cidade amanhece encharcada pelas chuvas de ontem.
O final de semana foi muito gostoso, netos em casa, revolucionando minha paz, revertendo minha ordem, mas pondo alegria em meu coração com suas alegres presenças. Bia está já uma moça, dezessete anos, toda compenetrada de sua autoridade de irmã mais velha que ajuda a cuidar dos irmãos... Amante dos livros, está sempre lendo, gosto apurado para a musica, ajuda no projeto de alfabetização de adultos da escola aonde estudou, e ainda, é bonita!... Ah!, a avó-coruja derrete-se toda. Gabriel, mais voltado para os esportes, aos treze anos já bem alto, olha a pobre da avó lá de cima (rs), um garoto carinhoso, doce, sempre com um sorriso lindo no rosto, seu violão é companheiro. César, é um garoto decidido, tem lá seu estilo, parece querer desafiar o mundo, mas mantem-se nos padrões. Os vídeos-games são sua paixão e está sempre perguntando alguma coisa, numa curiosidade sem fim, para seus dez anos de idade.
Em fins de semana alternados ficam aqui conosco, e vê-los em volta do pai, senti-los amigos, felizes por estarem juntos, faz um grande bem ao meu coração.
Chegam no sábado lá pela hora do almoço, o pai vai busca-los, e vão se esparramando pela casa, num alarido, falando, contando coisas, vão largando mochilas pela sala e lá vai a vovó atrás exigindo que levem as coisas para seu quarto, vão tirando os calçados, pondo os pés no chão – e a avó nem pode repreende-los porque seus pés também andam sempre descalços quando esta em casa – querem logo saber o que o pai (amante da gastronomia) vai preparar para eles, mas em seguida cada um toma seu rumo, o César vai logo ligando seus games na TV, o Gabriel vai a cata de um programa esportivo e a Bia, IPod ligado ao ouvido, enrosca-se na poltrona e mergulha na leitura. A hora do almoço é sempre agradável, depois vem a sobremesa e o sentarmos todos na sala para bater papo, trocar idéias, meu filho e meus netos ao violão sempre alegram a tarde. Depois volta cada qual para seu canto, e assim o sábado transcorre,. Algumas vezes optamos por almoçar fora, ou sairmos para um passeio. Eles adoram ir ao bairro oriental (Liberdade) ou a uma livraria no shopping.
O domingo tem mais ou menos a mesma rotina, e costumam ir ficando noite a dentro, só voltando para sua casa lá pelas nove da noite.
E quando eles saem, deixando uma baguncinha considerável na casa, uma avó cansada de andar para lá e para cá, mas feliz pela companhia de seus amores, que lhe preencheu o final de semana, fica a casa parecendo maior, vazia. E assim vou convivendo com os netos que moram em Sampa. Já na próxima semana vou poder conviver com o Neto que mora em Campinas, o Caio, mas conto quando lá estiver, fico por lá durante o Carnaval.. Como deixo para falar dos meus netos gringuinhos em final de março, quando devo voltar a Boston, para mais um tempinho com eles.
Bom, depois de um fim de semana agitado mas feliz, uma segunda-feira de organizar a casa, pôr ordem na bagunça... Então lá vou eu pôr mãos a obra, junto com a Nilda, minha “fiel escudeira”... rs...

Dulce Costa
Na manhã de dezesseis de fevereiro do ano de dois mil e nove

2 comentários:

Lourdes disse...

É ansativo mas reconfortante esta presença dos netos junto de nós. Alteram nossas rotinas e dão uma alegria diferente às nossas vidas. Esta parte de sua família é linda, Dulce.
Que Deus os acompanhe e proteja.
Beijo

Dulce disse...

Obrigada, Lourdes.
É exatamente isso. E ve-los crescer, acompanhar seus passos pela vida, é bom demais... rs.
beijos