floquinhos

segunda-feira, 23 de fevereiro de 2009

NUMA NOITE DE TEMPESTADE...


O dia quente, muito quente, abafado, deu lugar a uma noite de tempestade. Trovões ecoando por toda a parte, relâmpagos iluminando a noite, a chuva que cai forte, benfazeja, refrescando o ar, lavando a cidade... O som da guitarra que meu neto toca lá na sala de musica, mistura-se ao ruído do vento balançando as árvores, ao barulho da chuva batendo nas janelas...
Na penumbra de meu quarto, enrodilhada na poltrona, o pensamento vagando, indo longe, acaba por trazer-me doces lembranças, despertando saudades de alguns momentos que foram tão especiais... E vou ficando triste, na medida que vou constatando minha solidão nesta noite de tempestade...
Mas as tempestades, como esta minha solidão, costumam durar pouco, e assim como a noite dá lugar ao dia, esta tristeza de agora estará convertida em serenidade ao amanhecer. E desse modo a vida segue seu rumo... E assim vou trilhando meus caminhos, vivendo momentos...

Dulce Costa
Noite de 23 de fevereiro do ano de 2009

4 comentários:

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Insónia carnavalesca? Às vezes são boas para nos serenarem....

Dulce disse...

Pois é, Carlos São madrugadas aonde me encontro, e aonde, realmente, encontro minha serenidade.
Carnavalescas? Foi só uma coincidência de calendário... rs.

SAULO PRADO disse...

É isto ai navegando pelas tempestades, colhendo o que a de bom da vida, e mantendo a serenidade.

Ola estou só batendo o ponto!!!
Vim conhecer o seu cantinho, e estou adorando o que vejo; serei presença constante aqui.
O meu mundo quadrado é um lugar feito por devoção ao poeta, e a poesia, pois amar o poeta é entra em seu mundo te convido a vim conhecer o meu...
Um abraço e fique com DEUS...

Dulce disse...

Seja bem vindo, Saulo.
Obrigada pela visita e pelas palavras gentis. Aceito seu convite e vou conhecer seu cantinho, sim.
Um abraço.