floquinhos

sexta-feira, 6 de maio de 2011

Porque a vida só é possível...


Reinvenção


A vida só é possível reinventada.
Anda o sol pelas campinas e passeia a mão dourada pelas águas, pelas folhas. . .
Ah! Tudo bolhas que vêm de fundas piscinas de ilusionismo... – mais nada.
Mas a vida, a vida, a vida, a vida só é possível reinventada.
Vem a lua, vem, retira as algemas dos meus braços.
Projeto-me por espaços cheios da tua Figura.
Tudo mentira! Mentira da lua, na noite escura.
Não te encontro, não te alcança...
Só - no tempo equilibrada, desprendo-me do balanço que além do tempo me leva.
Só - na trevas fico: recebida e dada.
Porque a vida, a vida, a vida, a vida só é possível reinventada.



(Cecilia Meireles)

4 comentários:

ValCruz disse...

Amo Cecília!! Leio e releio seus versos, sua biografia... E só me encanto com esta mulher.


ps.: Dulce meu anjo, tem mimo pra vc lá no baú tá. Passa lá!!

Bjs linda!

Dulce disse...

ValCruz

Eu também, Val... É por isso que Cecília sempre está por aqui.

Um mimo pra mim? Que delícia, menina!... Obrigada, viu? Tô passando por lá, já, já...

beijos

Paloma disse...

DULCE, sempre que se faz alusão a vida, me vem a mente o Gonzaguinha:
¨E a vida, diga logo o que é, meu irmão/ ela é a batida de um coração...¨ Esta música é cantada ao final de muitos shows.
Gosto dos versos de Cecília Meireles.

Beijos

Dulce disse...

Paloma

Gonzaguinha tinha músicas ótimas, não?

Beijos e uma boa noite para você.