floquinhos

quarta-feira, 4 de maio de 2011

Não-Me-Toque - Vamos conhecer?

Entre os visitantes de ontem do Prosa, havia alguém de uma pequena cidade do Rio Grande do Sul cujo nome chamou a minha atenção e, como vem acontecendo, a cada vez que isso acontece, fui conhece-la através da internet para trazê-la até vocês. Os amigos do Prosa devem estar lembrados que essas cidades são escolhidas pela peculiaridade de seus nomes. E tem nome mais bonito para uma cidade, um nome que desperte mais a curiosidade, do que "Não-Me-Toque"?  Pois então!... 

Vista aérea da cidade

A cidade de Não-Me-Toque teve sua colonização iniciada por portugueses por volta de 1826, com a instalação de grandes estâncias pecuárias. Já em meados do Século XX, descendentes de colonos italianos e alemães, que buscavam melhores condições de vida, adquiriram lotes na região, dedicando-se a agricultura e dando início a extração da madeira, além da instalação de pequenas fábricas e casas  comerciais. E em 1949 chegaram os primeiros holandeses, fazendo de Não-Me-Toque o berço da colonização holandesa no Rio Grande do Sul. Mas só em 1954 Não-Me-Toque foi elevada a categoria de Município.


Gruta de Nossa Senhora de Lourdes

Há mais de uma versão para o nome "Não-Me-Toque". Uns dizem que provém do nome de um arbusto de tronco curto e recorto de espinhos, popularmente conhecido como não-me-toques, muito abundante na região na época da colonização ítalo-germânica, outros dizem  que vem da expressão "não me toque nestas terras", ou "não me toque daqui" ditas por um fazendeiro português, referindo-se à sua grande fazenda, da qual nunca pretendia se desfazer. 
Entre a variedade de culturas e a produção de boas sementes, o trigo foi considerado por muitos anos o "cereal rei" das plantações, inspirando os munícipes a optarem pela troca do nome de Não-Me-Toque para Campo Real (1971). Depois de intensas campanhas, a população, através de um plebiscito, optou pela antiga denominação de Não-Me-Toque (1976), nome atual da cidade, que conta hoje com aproximadamente dezesseis mil habitantes.
O município é sede da Expodireto Cotrijal, feira agrodinâmica de grande expressão à nível nacional e internacional, onde são realizados anualmente o Fórum Nacional da Soja e da Conferência Mercosul sobre Agronegócio.


Para quem quiser saber mais a respeito dessa cidade, deixo aqui o link para o site da Prefeitura de Não-Me-Toque. E deixo também o meu muito obrigada pela visita ao seu morador que por aqui passou.

7 comentários:

isa disse...

E sabe que olhando as lindas fotos
até sorri pq é tudo tão harmonioso
que se pede:Não toque,para ñ estragar!!!
Claro que ñ é nesse sentido.Mas dá
para pensar.
Que boa ideia teve a minha Amiga com
a explicação de nomes curiosos!
Beijo.
isa.

Paloma disse...

DULCE, a cidadezinha é uma graça.Nos inspira tranquilidade.
Gosto muito quando voce nos apresenta esta série de cidades,com nomes pitorescos.

Beijos

Dulce disse...

Isa

Essas pequenas cidades são bem acolhedoras,
Fico feliz que tenha gostado do nosso passeio a Não-Me-Toque...
Beijos e uma linda noite para você.

Dulce disse...

Paloma

essas cidadezinhas do sul do país são encantadoras, não são? E assim vamos passeando por elas, vamos conhecendo um pouco mais nosso Brasil.
Beijos e uma boa noite para você.

Beth/Lilás disse...

Querida Dulce!
Eu acho esta sua idéia de falar das cidades diferentes e desconhecidas de muitos de nós, simplesmente fantástica.
E, adorei conhecer a história desta cidadezinha simpática.
bjs cariocas

DANIELA KIEKOW disse...

Quais são as cores da bandeira de Não me Toque?

Dulce disse...

Daniela Kiekow

Bom dia.
Lamento muito, Daniela, mas tudo que sei sobre a cidade é o que está postado aqui no Blog. Mas você pode acessar o site do IBGE "cidades brasileiras" ou o da Wikipédia, ou mesmo o da Prefeitura Municipal de Não me Toque, que certamente terão as respostas que precisa para o seu trabalho Escolar. Boa Sorte.