floquinhos

domingo, 6 de novembro de 2011

Quase uma "odisséia"...


Quando escrevi a postagem abaixo, na sala de embarque do Aeroporto Internacional de Washington (chic, não? rs...) o voo que íamos tomar estava "on time", tudo certinho. Mas, nunca se sabe, né? A hora do embarque dos passageiros foi chegando e passando e nada do tal embarque. Com tantas idas e vindas, a gente acaba por perceber quando alguma coisa não está "nos conformes" , não é? Pois!... Tripulação da aeronave já embarcada, começa um entra e sai do gate, inusitado. O agente da United começa a querer explicar, a dizer que sairíamos um pouco atrasados, e o tempo foi passando, tripulação desembarcada, piloto, co-piloto, comissários de bordo, todo mundo saindo e se espalhando pela sala... Ai um dos comissários, talvez o único brasileiro do grupo, veio explicar, em bom português, já que a maioria dos passageiros era composta por brasileiros, e para que não houvessem dúvidas, que havia um probleminha numa das válvulas da turbina esquerda do avião e que por isso, o voo atrasaria um pouco mais, por isso e para que os mecânicos fizessem um teste, etc e tal. Vocês precisavam ver as reações... Os mais acostumados a viajar, sabendo que essas coisas acontecem mesmo, apenas sairam para um café, um lanche rápido ali mesmo. Os menos acostumados ou os que, mesmo acostumados, não gostam de voar, começaram a expressar seu medo em comentários até meio sem sentido. Muito interessante obsersar as pessoas e suas diferentes reações diante de um mesmo fato...
Resultado? duas horas depois fomos transferidos para o gate ao lado, já que embarcaríamos em outro avião (o "nosso" foi para reparos).  Sem problemas, melhor assim, tomara que este esteja ok, contanto que não caia - eram expressões ouvidas em volta de mim. Problema resolvido? Sim, mas a "aeronave" como costumam dizer os membros da tripulação, acabara de chegar de Los Angeles e era preciso reabastecer, fazer a higienização e limpeza, transferir as bagagens dos passageiros, essas coisinhas corriqueiras que consomem um "tempinho razoável", o que nos levou a mais uma hora de atraso, mas depois, foi tudo muito bem, viagem tranquila, e um imenso cansaço ao desembarcar em Sampa, passando já da uma hora da tarde, com quase quatro horas além do que era para ser. Cumpridas as etapas de praxe, como retirada da bagagen, passagem pela alfândega, lá estava eu, toda feliz, sendo abraçada por meu filho no portão de desembarque. Caminho de casa, a tarde já indo pela metade, parada num restaurante aqui mesmo da Vila Madalena para o almoço. antes de chegar ao ninho, o que só aconteceu lá pelas três da tarde. 
Meus amigos, eu tinha saído da casa de minha filha as dez da manhã do dia anterior, já que ela precisava ir a uma reunião de trabalho antes de me levar para o aeroporto de Boston, de onde parti. Espera em Boston, voo para Washington, espera em Washington, atraso, stress, cansaço demais. Fiquei, como costumam dizer por aí, "derrubadaça"... rs... Comecei a desfazer as malas, mas qual o que o que, ficaram para hoje. Os netos chegaram para jantar com avó, aí ficou bom!... Depois do jantar eles subiram para ver TV ou brincar com a guitarra e euzinha, que já não sou mais uma menina faz muiiiiiiiito tempo, vencida, quase estafada, resolvi ter um "siricotico" o que levou meu filho a me mandar para a cama, não sem antes me medicar e, claro, me admoestando com um famoso "é stress demais minha mãe. a senhora precisa entender que não tem mais vinte anos, que precisa, de vez em quando, por o pé no freio..." Ficou ali comigo até que tudo voltasse a estar bem, até que meu coraçãozinho rebelde voltasse ao ritmo normal e que eu dormisse. Acordei com ele no quarto agora de manhã segurando meu pulso (Tão bom ser mimada... rs..)  e dizendo que precisava ver uns pacientes no hospital, que as "crianças" estavam dormindo, que eu não me preocupasse com nada que logo mais estaria de volta e reafirmando que tudo estava bem comigo... 
Ufa!!! que Odisséia!... Mas faz parte da vida, acontece muito "quando se é tão jovem quanto eu" (hehehehe)...
O fato é que estou de volta ao ninho, no meu aconchego, entre meus amores de cá - os netos ainda dormem no quarto que lhes pertence nesta casa e que ocupam nos finais de semana que passam com o pai, e que tudo está no seu lugar, exatamente como diz a música, graças a Deus!...
Estou de volta pro meu aconchego, de volta ao ninho, de volta ao Prosa, ao agradável convívio com nossos amigos e leitores... BOM DEMAIS!...

22 comentários:

isa disse...

E que bom lê-la de novo,imaginando rostos e sons pouco animados e,ao mesmo tempo feliz pq a minha querida Dulce conseguiu sorrir no meio de tudo o que se passava.
As suas melhoras! Que descanse e,vá por mim,ñ se apresse com arrumações.
Tudo com calma.
Beijoo.
isa.

Dulce disse...

Isa

Obrigada querida amiga.
Mas quando não há nada que se possa fazer, quando as coisas não dependem de nós, um sorrir costuma ajudar, não é?

Isso também já aprendi, minha amiga, nem sempre a pressa em se fazer as coisas nos leva a bons resultados. rs... e preciso mesmo de um descanso.

Beijos, obrigada e um bom domingo.

Lourdes disse...

Dulce
São frequentes estes percalços nos aeroportos e, as pessoas que têm receio de "voar" passam momentos angustiantes enquanto não chegam ao seu destino.
Agora tudo entrará numa nova rotina até à próxima viagem. Quando os filhos se espalham por diferentes locais, acaba-se por estar sempre em viagem...
Beijinhos
Lourdes

Pitanga Doce disse...

Ô Dulce, tô aqui tomando fôlego depois de ler tua "odisseia". Nada que já não tenha me passado nesses bons anos de idas e vindas, mas quando acontece é como se fosse diferente das outras vezes, não é? E CAAANSA! Noooossa! Como cansa!Aliada às "surpresinhas", está a ansiedade em chegar logo e a vontade de ir até à cabine e dizer: " toca o bonde, motorista"! Eu já disse várias vezes que conseguiria pousar um avião, com tantas horas de voo que tenho e tu também. Já pensaste em "navegar" comigo? Eu seria tua "co". hehehe

Olha! Que bom que tens aí um filho só pra te lembrar que não tens mais 20 anos. Tu nem tinhas reparados nisso! hehehehehhe

Beijos e BEM VINDA!

Paloma disse...

DULCE, literalmente uma ¨Odisséia no Espaço¨ ou rumo ao espaço.
Emociona-me o relato que faz sobre os cuidados e carinho de seu filho.
Voce bem merece toda a atenção e carinho do mundo!

Beijos,com a admiração de sempre

Graça Pereira disse...

Bem vinda, minha Amiga!
Na verdade, a nossa "juventude" prega-nos umas partidinhas isto porque, o nosso coração envelhece jovem e os sonhos...estão ali prontos a florir!
Beijo amigo.

Graça

Agulheta disse...

Querida amiga Dulce.É sempre bom o regresso ao nosso lar,por muito carinho e conforto que tenhamos dos nossos,a nossa casa é o ninho.Espero que melhore e os filhos por vezes tem razão,eu digo aos meus muitas vezes,que culpa tem a mão de ter cabeça de 30 e corpo de sessenta!É assim minha amiga.As melhoras e beijinho de amizade e meu carinho,fique com Deus.

Dulce disse...

Lourdes

É verdade. Eu mesmo, que vivo pra lá e pra cá, já passei por algumas situações... Mas é como você diz: filhos espalhados, não tem jeito...
Beijos e uma boa semana para você.

Dulce disse...

Pitanga Doce

E como cansa!... E na medida que vou envelhecendo, vai cansando mais, vai ficando mais dificil enfrentar isso tudo.

Eu topo!... hehehe vamos navegar, mas fico de co- piloto, você vai no comando...

Pois!... ai que está o X do problema. A memória vai ficando tão curta que é preciso do filho lembrar a vetusta idade da mãe... hehehehehe

Beijos e uma boa semana para você.

Dulce disse...

Paloma

Não é?... E não foi a primeira vez que passei por "odisséias" nesses aeroportos, mas não consigo me acostumar, sabia? Acho que ninguém consegue.
Meu filho, ou melhor, meus filhos são sim bastante preocupados com a velha mãe... Agradeço muito a Deus por isso.

Beijos, obrigada e uma boa semana para você

Dulce disse...

Graça Pereira

Obrigada, minha amiga.

E é ai que mora o perigo... nesse envelhecer jovem...
E haja jovem envelhecido coração para tantos sonhos...

Beijos e uma boa semana para você.

Dulce disse...

Agulheta

É exatamente assim, Lisa... Que se há de fazer?
Muito obrigada, minha amiga, uma boa semana e fique com Deus também.

Beijos

ValCruz disse...

Dulce, você é encantadora!! Adorei o conto da volta ao ninho... hehe. Que bom que estás de volta!! Aqui, ou acolá, você só não pode é sumir!! Risos.

Beijos minha flor, e boa semana!

Dulce disse...

ValCruz

Obrigada, minha linda. E, fique certa que, se depender de mim, não sumo, não... hehehehe...
Beijos e uma boa semana procê.

Maria Teresa disse...

Dulce:
É por isso que nossa cidade está mais feliz, mesmo nesta segundona com cara de brava! Seja bem-vinda, minha amiga!
Beijos

Dulce disse...

Maria Teresa

Ahhhh!... Obrigada, minha amiga. Mas feliz mesmo estou eu por estar de volta e receber tanto carinho dos amigos do Prosa. Muito obrigada.

Beijos e boa semana

Pitanga Doce disse...

Oooolha o jet-lag! Quem vai querer um jet-lag????

Dulce disse...

Pitanga Doce

OH. NO!!! NOT ME!... heheheheh

Pior que nem é jet-lag, viu? É casa bagunçada, mesmo, pois minha fiel escudeira se foi... rs... Mas logo, logo, acerto tudo por aqui...

Beijos

Idanhense sonhadora disse...

Fico feliz Dulce por sabê-la bem tanto de saúde ,como no aconchego do seu lar , no solo pátrio do seu ( e posso dizer nosso ?) Brasil .É bom ter assim ,mesmo à mão um filho que nos "apaparica " e vigia os nossos corações.Digo ,nos vigia , porque também o meu às vezes me lembra a idade que tenho !!Mas o que é preciso é a Dulce estar bem e podermos contar consigo ,com o Prosas que tão "doce!" é...
Beijinhos
Fique bem
Quina

Dulce disse...

Idanhense Sonhadora

E que bem que os temos, não Quina? A esses filhos que, de repente, tomam-nos pela mão e vão no conduzindo, a nós, pelos caminhos da vida, numa inversão de papéis a que a vida nos obriga, mais cedo ou mais tarde... Que bom que os temos!...

Beijos, muito obrigada e tenha uma boa semana

Beth/Lilás disse...

Queridaa, cheguei também!
Fico feliz que mesmo sendo toda esta odisséia que nos contou, você tenha sido mimada e tratada direitinho para voltar ao nosso convívio.
Morro de medo de avião, mas viajo também. Só não suporto esperar tanto e ficar tanto tempo no ar, isso me deixa estressada também.
Acabo de chegar da Espanha, tiramos os 11 dias direto de Madri até o sul.
Uma delícia de dias claros e maravilhosos.
Volto devagar, pois ainda tenho muita coisa para colocar em dia por aqui.
muitos beijinhos cariocas

Dulce disse...

Beth/Lilás

Bem vinda, minha amiga...
Que viagem maravilhosa deve ter sido essa, em terras de Cervantes, com tantas belezas... Espero que, aos poucos, vá nos contando essa doce experiência...
Então, vamos nós, depois dos aeroportos do mundo, voltar a rotina, certo? rs...
Beijos e aguardo seu retorno total depois do merecido e necessário descanso.