floquinhos

sábado, 30 de outubro de 2010

Numa sala de espera...

Deste lado da vidraça, o outono parece triste...

O tempo parece ter parado entre os móveis desta sala de espera...



A casa é do comecinho do século passado, um lindo casarão branco, feito no estilo da região, dois andares, cercada por um gramado todo recoberto pelas lindas cores das folhas mortas das árvores que a cercam. As salas do casarão transformadas em salas de espera e consultórios de uma clínica de psicologia ostentam ainda um estilo e uma decoração da época, com móveis em madeira macica, linhas retas, sem luxo nem graça. Sobre a mesinha lateral alguns exemplares do "Newsweek" entre umas revistas médicas... Numa das paredes, um imenso post de uma floresta em chamas e na outra um composé de quatro salas médicas no começo do século 20... Pela janella, através do vidro, a paisagem do outono tornando ainda mais triste o ambiente.
E eu fico ali imaginando os dramas e as angústias que já passaram por aquelas salas, as tristezas e incertezas que aquelas cadeiras duras e desconfortáveis abrigaram, E a sala vai tomando, em mim, um aspecto sombrio. Mas, ao mesmo tempo, reflito sobre a finalidade daquelas visitas e penso no alívio que cada alma sentiu após a hora de terapia, após meses ou mesmo anos necessários para levar a cura e a uma vida melhor, já que o velho casarão abriga profissionais do mais alto nível. E como o que vale são os resultados, o que um paciente busca é seu reequilibrio emocional, a melhora de seu estado de alma, pouco importando a beleza ou a modernidade dos móveis de uma sala de espera, faço daquela visita mais um aprendizado...

6 comentários:

Pitanga Doce disse...

Dulce, penso que quem passar um ano em tratamento (e geralmente passam) há de ver todas as estações, desta janela. Com certeza isto contribuiu para as mudanças no interior de cada um que sentou nessas cadeiras. Não achas? É um lugar bonito de se ver...lá fora.

Beijos, Dulce... e hoje é dia de festa. Julinha em sua Primeira Comunhão.

Dulce disse...

Pitanga Doce

Acho sim, amiga. As estações vao passando e alma vai se reencontrando...

Parabens, a Julinha. Bençãos de Deus sobre seu coração.

Beijos

Isa disse...

Relembrei esse espaço,pq julgo serem tds parecidos.
Realmente a fé nas melhoras é já mt
bom!
Beijo.
isa.


PS:- Quando tiver um bocadinho gostava q lesse o post de hoje no selos.
Concordará com o q lá deixei?

Ana Martins disse...

Boa noite Dulce,
nessas salas, por muito curta que seja a espera, parece sempre longa.
Li aqui um olhar atento e sensível, clínicas por muito bonitas e coloridas que sejam, são sempre clínicas.

Beijinhos,
Ana Martins
Ave Sem Asas

Dulce disse...

Isa

Minha querida amiga, já lá estive em seu "Selos" e adorei o novo visual, o novo modo de ser desse seu espaço. Deixei lá um recadinho.
Beijos, obrigada e um bom final de semana para você.

Dulce disse...

Ana Martins

Boa noite, Ana.
E acho que é por isso mesmo que paira no ar um quê de angústia em lugares assim. É bem como você diz, amiga: Clínica é sempre clínicas...

Beijos e bom final de semana.