floquinhos

domingo, 3 de junho de 2012

Sob a doce magia do luar...


Ela fôra a Salvador a convite daquele parente distante que tomara para si a tarefa de organizar a árvore genealógica da família e que, para isso, pedira-lhe que levasse consigo fotos antigas, cartas ou documentos que porventura tivesse e que pudessem ajudar nas pesquisas. Durante três dias tinham trabalhado arduamente na tentativa de organizar todos aqueles dados corretamente. Em dois dias viajaria de volta para casa e nem tivera tempo, ainda, de conhecer a cidade, aquela cidade que desde os  tempos de sua juventude aprendera a amar através dos livros de Jorge Amado. Na verdade, não só a cidade, mas a Bahia, como um todo, povoava sua imaginação de magia, exercendo doce fascínio sobre ela.
Terminado o jantar, decidiram tomar o licor no terraço, onde a brisa do mar trazia um certo frescor àquela noite tão quente. Assim que transpôs a porta, a magia da noite tomou conta de sua alma; noite envolta em um luar imenso que se esparramava por sobre o mar sereno, mar sobre o qual parecia debruçar-se o terraço...  Foi tão intensa a sensação de encantamento que a envolveu que não conseguiu reter a lágrima que lhe desceu pela face. A música que vinha da sala era a mesma que acalentara seus primeiros sonhos de menina, seu primeiro amor, platônico e nunca esquecido.
Foi quando sentiu a mão dele retirando o cálice de licor de entre seus dedos e, convidando-a para dançar, tomou-a docemente em seus braços. Fechou os olhos deixando-se levar pela fantasia do momento, como se o tempo não tivesse existido e o sonho fosse, finalmente, realidade... Como se mais de quatro décadas não se tivessem passado desde que o vira pela última vez.
Terminada a música, Marina olhou-o nos olhos, doce e profundamente, e sussurrou:
- Obrigada...
- Mas, pelo que?  
- Sabe, Pedro, desde minha adolescência trazia em mim um momento não vivido, um momento perfeito, um sonho que sempre pensei impossível... Houve um príncipe muito encantado que jamais percebeu que eu existia... Houve um amor, primeiro e lindo, sem a menor chance de ser correspondido... Houve o sonho de uma noite de luar, num terraço mágico, ao som da voz de Billy Eckstine interpretando Blue Moon, a música de minha vida.. E nesse sonho, o príncipe tomaria a sonhadora menina em seus braços e sairiam dançando pela noite, em puro encantamento...
Sentindo-se enternecido, Pedro murmurou:
- Só faltou o príncipe...
- Não... Nem isso... Sussurrou Marina.

(Uma história retirada do baú de sonhos perdidos)
Março de 2010

15 comentários:

Beth/Lilás disse...

Eita como escreve bem esta amiga Dulce!
Gosto deste teu jeito romântico de contar as coisas. E esta música, nossa, como é linda! Deixei aqui rolando enquanto vou ler outros blogs.
beijos cariocas e boa noite!

Dulce disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Dulce disse...

Beth/Lilás

Pois é, minha amiga... a música faz a diferença... rs...

Beijos, obrigada e uma ótima semana para você.

Pitanga Doce disse...

Afinal, as "asas" ainda estão aí.

beijos Dulce

Dulce disse...

Pitanga Doce

Atente para a data, minha amiga...
E, detalhe insignificante (rs), é pura ficção, viu? hehehe

Beijos

Idanhense sonhadora disse...

Adorei o seu texto !!!Será que pode ter continuação ?
Beijinhos
Quina

isa disse...

Não me canso de ler seus textos e de lhe dizer como escreve bem, muito bem! Encanto-me.
Beijo.
isa.

Agulheta disse...

Uma beleza de texto Dulce,bem romântico e com grandes emoções vividas,isto para não falar no glamour da música que inebria a leitura,adorei.
Beijinhos e boa semana.

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Belas memórias tão bem descritas, Dulce.
Beijinho

Dulce disse...

Idanhense Sonhadora

Bom, minha amiga, talvez a continuação quebrasse o encanto... Deixemos que o principe continue encantado.
Beijos e linda tarde para você.

Dulce disse...

Isa

Minha doce e gentil amiga, sempre com uma palavra boa para nos alegrar a alma... Obrigada.

Beijos e uma boa tarde para você.

Dulce disse...

Agulheta

Obrigada, minha amiga. As músicas são do coração.
Creio que muitas de nós acalentaram sonhos assim, cheios de romantismo, nos verdes anos de nossa juventude, não é mesmo, Lisa?

Beijos e uma boa noite para você.

Dulce disse...

Carlos Barbosa de Oliveira

Obrigada, beijos e uma boa noite para você.

Ana Martins disse...

Dulce, boa noite!
Retire então do baú dos sonhos mais algumas histórias, porque esta ficou linda.

Beijinho,
Ana Martins

Dulce disse...

Ana Martins

Obrigada, Ana, Vou tentar encontrar outras...
Beijos e um bom domingo para você