floquinhos

quarta-feira, 10 de novembro de 2010

Numa manhã de pouca inspiração...


A chuva vai, aos poucos, diminuindo, ora chove, ora não, mas a cidade continua molhada, o vento vem gelado, mostrando que o frio veio para ficar e a cada dia mais rigoroso. Vejo através da janela um primeiro raio de sol que brilha timidamente, num relance, para logo recolher-se entre as nuvens. Vago pela casa vazia, procurando um tema para meus escritos de hoje, mas a alma parece tão vazia quanto a casa. Abro meu laptop e a voz de Sinatra preenche o ambiente e o meu coração hoje um tantinho triste, num sentimento que daria um conto inteiro se o fosse usar como tema, mas seria um tema triste e hoje não vou dar bom dia a tristeza, não quero, não devo. Prefiro refugiar-me entre as rimas dos Poetas de Meu coração, e hoje dou espaço a Thiago de Mello, o homem da floresta, que afirma que só é habitado pelo milagre da matéria...


Ninguém me habita

Ninguém me habita. A não ser
o milagre da matéria
que me faz capaz de amor,
e o mistério da memória
que urde o tempo em meus neurônios,
para que eu, vivendo agora,
possa me rever no outrora.
Ninguém me habita. Sozinho
resvalo pelos declives
onde me esperam, me chamam
(meu ser me diz se as atendo)
feiúras que me fascinam,
belezas que me endoidecem.


(Thiago de Mello)

20 comentários:

piedadevieira disse...

Fez bem em dar espaço para o poeta, maravilhosa poesia, assim como o seu texto, Dulce. Sensível e penetrante, gostoso de ler.
Beijos

Agulheta disse...

Amiga Dulce.Ao som da maravilhosa voz de Sinatra li a sua nostalgia.Temos dias assim amiga,eu ando um pouco assim:penso que seja do outono que nos deixa um pouco monótonos.Desejo o melhor para si,saúde junto de quem ama,mesmo sem inspiração,mas com um lindo poema que não conhecia...obrigada por partilhar.
Beijinho

**♥✿-franciete-✿♥** disse...

Oi minha amiga ainda bem que voltou, pensei que já tivesse perdido.
É sempre tão bom quando reencontramos amigos que ao longo da vida se vão afastando por qualquer motivo a vida é assim, e nós nestas andanças nem sempre nos podemos comprometer nas nossas visitas, mas fico feliz porque o seu blogue é muito lindo e dá gosto cá vir.
Beijinhos de luz e muita paz

Paloma disse...

Querida Dulce,sua postagem me fez
lembrar a canção ¨Bom Dia Tristeza¨
(Adoniran Barbosa e Vinicius de Mo-
raes)cantada pela grande Maysa:

Bom dia tristeza,que tarde tristeza
Você veio hoje me ver
Já estava ficando até meio triste
De estar tanto tempo longe de você

Conhece esta música? Beijos

orvalho do ceu disse...

Olá, querida
Trocar a desolação por Thiago de Melo foi a melhor opção que vc pode concretizar. Parabéns!!!
Tenha paz e alegria!!!
Bjs

Pitanga Doce disse...

Alguém me habita. E a ti habita a tristeza. Deixa ela vir, para depois ir.

Beijos e boa noite, Dulce

Dulce disse...

Piedade Vieira

Gosto muito de Thiago de Mello, por isso o trago aqui muitas vezes.
Beijo, obrigada, boa noite.

Dulce disse...

Agulheta

E essa certa monotonia chega a quase ser natural em alguns dias do ano, principalmente quando tudo se veste de cinza...
Beijos, obrigada e boa noite, Lisa.

Dulce disse...

Franciete

Pois, minha amiga, ando meio perdida, de novo aqui no hemisfério norte, parece um caracol que carrega a casa as costas (rs), coisas de mãe, fazer o que? Mas de modo algum esqueço as pessoas amigas, e sempre acabo retornando ao rumo...
Beijos, obrigada e boa noite.

Mari Amorim disse...

Parabéns!
saio daqui com a alma cheia de alegria,por esta bela leitura.
Boas energias,que seus dias sejam de felicidade plena!
Mari

Dulce disse...

Paloma

Conheço sim essa música, gosto bem dela e o jogo de palavras veio justamente dai...
Beijos, obrigada e boa noite.

Dulce disse...

Orvalho do céu

Obrigada. Thiago de Mello sempre acalenta o coração.
Beijos e uma boa noite para você.

Dulce disse...

Pitanga Doce

Mas é o jeito, amiga. Ela chega sem pedir licença, fica dançando em volta de nós e vai embora quando bem entende... rs...
Beijos, obrigada e boa noite para você também

Dulce disse...

Mari Amorim

Obrigada! Recebe-la é sempre um prazer.
Beijos e uma boa noite para você.

M. Lourdes disse...

Dulce
Após a minha intervenção cirúrgica também eu fiquei sem inspiração para recomeçar. Tenho passado pelos blogs dos amigos, leio, mas escrever não me apetece. De qualquer forma tenho estado presente e hoje, pelo menos, venho desejar uma boa noite.
Beijinhos
Lourdes

Dulce disse...

M Lourdes

Que bom te-la de volta, minha amiga!
O importante é que você esteja, em rápida recuperação. Mais um tempinho e estará de novo disposta, para a alegria de todos nós.

Beijos e um bom dia para você.

Osvaldo disse...

Dulce;

Para nos ofereceres tão bela poesia do Thiago, é sinal que estavas bastante inspirada porque a poesia dele é inspiração pura.
Obrigado por tão bela inspiração em manhã chuvosa.
bjs, Dulce.
Osvaldo

ValCruz disse...

Querida Dulce,

Sabe que esse tempo por aí influencia parte no que você está sentido!? Mas essa vida é assim: alegria e tristeza andam de mão dadas.


Quanto ao poema:

Talvez de todos os comentários ou não, eu seja a única amazonense do pedaço... risos, não conheço o Thiago de Mello pessoalmente já o vi muitas vezes por Manaus. Quem o conhece bem são os familiares do meu marido que são conterrâneos dele, principalmente o avô do meu marido. O lugar de onde ele é nascido Chama-se Barreirinha, fica no interior de Manaus, as margens do Rio Andirá, lugar que o poeta mora até hoje... um verdadeiro paraíso. O lugar é quase uma ilha particular! Ele é muito simples... anda de chinelinho e roupinha branca pra todo o lugar que vai, tem o dom da escrita por natureza... risos, com tanta inspiração pudera!? Obrigada por compartilhar um dos escritores de lá da minha Terra, e do nosso Brasil.


Beijos fique com Deus!!!


Ps.: Aquele povo de lá tem muitas histórias, o bom mesmo é ouví-las da própria boca deles, sentado numa rede tomando açaí, ou tacacá, apreciando a prosa. Vixe! E eu que sou jovem, que nada sei, ou pouco sei... Só vou sonhando.

Dulce disse...

Osvaldo

Thiago de Mello é, mesmo, um dos poetas eleitos por meu coração e sempre me inspira, me acalma, me encanta.
Sou eu quem agradece pela sua presença e pelos seus sempre oportunos e gentis comentários, meu amigo.
Beijos e uma ótima tarde para você.

Dulce disse...

Val Cruz

Thiago de Mello sempre foi um dos poetas de minha predileção então você pode imaginar minha emoção no dia em que o conheci na Bienal do Livro de Sao Paulo de 2002. Ele estava sentado, autografando seus livros, todo de branco, um sorriso doce nos lábios, ternura e calma no olhar... Colocou no exemplar do livro que lhe entreguei "um pouco da luz da floresta", apertou minha mão, e eu fiquei sem palavras, com uma emoção percorrendo minha alma... Só consegui dizer obrigada. Eu que teria tantas perguntas a fazer-lhe. Foi um momento encantado...
Como foi um encanto este seu comentário, Val. Muito obrigada, viu? Adorei. Como adoraria poder um dia sentar-me numa rede e ouvir essas histórias...
Beijos e linda tarde para você.