floquinhos

terça-feira, 2 de novembro de 2010

Na fria madrugada, a ternura de Cecília...

Na madrugada, um dos poemas de Cecília Meireles que falam docemente ao meu coração... Pois numa noite como esta, quieta e fria, com um silêncio total a envolve-la, a alma se encolhe, enrodilha-se sobre si mesma e pede acalanto... E Cacília é sempre um doce acalanto.

Murmúrio

Traze-me um pouco das sombras serenas
que as nuvens transportam por cima do dia!
Um pouco de sombra, apenas,
- vê que nem te peço alegria.

Traze-me um pouco da alvura dos luares
que a noite sustenta no teu coração!
A alvura, apenas, dos ares:
- vê que nem te peço ilusão.

Traze-me um pouco da tua lembrança,
aroma perdido, saudade da flor!
- Vê que nem te digo - esperança!
- Vê que nem sequer sonho - amor!

(Cecília Meireles)

5 comentários:

Isa disse...

Como é belo este poema!
E o final...diz tanto.
Beijo.
isa.


PS:-A Maria está ainda doentinha.
Um problema renal que,se Deus quiser,vai passar!
Obrigada pela presença que tanto aprecio!

Dulce disse...

Isa

Ha de passar sim, e bem depressa, querida amiga. Logo sua pequena Maria vai estar completamente curada.

Sou eu quem agradece sua presença tão querida e sua amizade.
Beijos

Pitanga Doce disse...

Murmurando com Cecília. Bem baixinho.

beijos, Dulce.

Pitanga Doce disse...

"Olha, vem comigo aonde eu for
Seja meu amante e meu amor".
(Bethania-Roberto Carlos)

Dulce disse...

Pitanga Doce

Murmurando com Cecilia, cantando com Bethânia... ai, ai...

Beijos e uma linda tarde para você,