floquinhos

quarta-feira, 19 de dezembro de 2012

Está tão difícil...


Por várias vezes, ontem, abri e fechei a caixa de postagens do Prosa sem nada escrever. Escrever  o que? Nem tenho nada a dizer... Quer dizer... Ter eu tenho, mas o tempo é de paz e o Espírito do Natal aconselha a calar, pelo menos à moderação... Mas muitas vezes, no silêncio do noite, eu me sento em minha poltrona favorita, fecho meus olhos e abro meu coração numa conversa  com Ele. O que a humanidade faz de si mesma, Senhor? Porque toda essa miséria humana, porque toda essa iniquidade, porque toda essa maldade, esse desrespeito para com os outros e até para consigo mesmo? Como chegamos a isso? Ou devo aceitar como verdade o que muitos dizem quando afirmam que o ser humano é mau, é cruel por nascimento e, salvo raras exceções, só se contém por medo das consequências, ou de Deus e de Sua incontestável justiça? E como a sociedade anda meio desleixada de suas funções e de seus deveres, e como a crença Nele anda meio esquecida, ou posta num segundo plano, vamos afundando neste mar de irracionalidades e de lágrimas amargas onde pais choram a perda de seus filhos, onde filhos ficam sem seus pais para guiá-los pelos caminhos da vida, onde o vício e a ganância, onde a impunidade e a prepotência vão dando as cartas, vão abrindo vielas de desespero no coração dos homens que ainda creem na humanidade, apesar de tudo... 

E os leitores do Prosa devem estar perguntando " a que veio esta conversa toda, tão negativa, em plena época natalina, quando o tempo deve ser de amor e de paz?"... Pois veio de um olhar mais atento ao cotidiano, às manchetes dos jornais, ao se estar mais conectada com o que acontece em torno de nós... Veio de todas a lágrimas que marcaram o rosto de tanta gente atingida pelo sofrimento da perda de seus entes mais queridos, veio da perda mesma de tantas vidas inocentes podadas pela insanidade, pela raiva, pela irracionalidade... Veio da opressão que causa em mim esta forma de viver e de encarar a vida que parece ter-se, definitivamente, instalado entre os homens...  

Pois é... Talvez fosse melhor que o Prosa continuasse em ressesso por mais uns dias... 

13 comentários:

isa disse...

Não, querida Dulce.
Foi bom que partilhasse esses pensamentos connosco.
Tb tenho pensado muito nestes problemas terríveis que assolam a Humanidade...ficando bem triste.
Beijo.
isa.

Lídia Borges disse...


Não podemos fechar os olhos ao mundo que nos rodeia e este, de facto, não nos dá razões para muitos optimismos. Porém, é NATAL e mais luminosa que nunca deve brilhar a estrela da Esperança.

Beijo meu

FELIZ NATAL!

✿ chica disse...

Realmente vemos tantas coisas que não combinam com a época ,nem com nenhum dia...PENA! beijos,FELIZ NATAL! chica

elvira carvalho disse...

Minha querida amiga devemos partilhar os nossos sentimentos. Quem sabe quando eles não são o elo de uma corrente que traga novos sentimentos e mais amor à humanidade. Pode parecer apenas uma gota de água, mas é de milhares de milhões de gotas de água que se forma o mar.
Um abraço de muita amizade, e Um Santo Natal.

Pitanga Doce disse...

Um beijo, Dulce. Entendo bem o teu sentimento e sobre tudo teu medo. O que vemos resume-se mais ou menos assim: crianças infelizes, adultos infelizes, um dia. Se procurarmos, há sempre uma história triste por trás de tudo.

Abraços deste lado de cá do Atlântico.

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Palavra por palavra, partilho este post e os sentimentos de incomodidade, quase indignação, perante o mundo em que vivemos.
Aproveito para lhe desejar um Natal Feliz, que 2013 lhe traga tudo de bom e nos continue a prporcionar belos momentos no Em prosa e verso
Beijinho

Dulce disse...

Isa

Pois, minha doce amiga! Chega um tempo em que não podemos calar o que nos trava a alma, não é mesmo?
Essa não é a temática do Prosa, mas como calar diante de tantas tristezas?

Beijos

Dulce disse...

Lídia Borges

E que seja de amor e paz este Santo Natal, e que haja sempre a esperança a agasalhar o coração dos homens.

Beijo, obrigada e um Feliz Natal para você também

Dulce disse...

Chica

Obrigada, Chica! e um Feliz Natal para você também.
Beijos

Dulce disse...

Elvira Carvalho

Tem raão, amiga. O que não podemos, de forma alguma, e ficarmos indiferentes. Não dá mais.

Beijos, obrigada e um Feliz Natal para você também

Dulce disse...

Pitanga Doce

Tão bom sabe-la ai do outro lado do Atlântico, minha amiga, em "sua casa", em seu lugar do coração...

Beijos, obrigada e lindo final de semana para você.

Dulce disse...

Carlos Barbosa de Oliveira

Conheço bem sua postura diante da vida, meu amigo. Vejo-a em cada uma das postagens no Rochedo.

Obrigada por ter vindo, Carlos. O Prosa sempre fica todo prosa com sua visita, viu? Muito obrigada e que tenha, você também, um Feliz Natal.

Beijos

Agulheta disse...

Dulce.Como entendo bem as palavras,sim todos os dias entra pela porta"ou seja jornais TV,e olhando em volta vemos tanta miséria que dá muito dó.Por vezes penso,meu Deus como a sociedade pode viver assim.Gostei das palavras porque estão bem presentes em todo o mundo.
Beijinho,feliz natal