floquinhos

terça-feira, 10 de julho de 2012

Um dia cheio de sabores...


Vocês já repararam que tem dia "pra" tudo? Dia dos Pais, das Mães, da sogra, dos namorados, do amigo, etc... etc...? Pois hoje é Dia da Pizza! Acreditam? Pois é! Dia Mundial da Pizza! 
E numa cidade como São Paulo, com mais de 5 mil pizzarias, este dia deve mesmo ser festejado, ainda mais que é voz corrente que, por aqui, em terras de Cabral, "tudo acaba em pissa". rs...
Na verdade, dona pizza é o que se costuma chamar, em gíria corrente, "o maior quebra galho". Quando chega uma visita inesperada à hora do jantar, manda-se pedir uma pizza. Quando não sabemos o que vamos fazer para o jantar, ou quando não temos a menor disposição para enfrentar uma cozinha, a pizza é nossa opção primeira. Quando saímos de um cineminha, ou mesmo de um teatro com aquela fominha inesperada, e não temos muita disposição para enfrentar tempo de espera em restaurantes (quase sempre lotados), o jeito é passar numa das pizzarias sempre de plantão pela noite a dentro...
Chegada da Itália, fez morada em terras paulistanas, modificando-se aprimorando-se ao gosto da gente do lugar e hoje há uma variedade sem fim de sabores, doces ou salgados, a deliciar paladares a qualquer hora. Dizem as estatísticas que São Paulo e Nova York são as cidades, no mundo, onde elas são mais apreciadas e consumidas, mas em qualquer lugar onde eu tenha estado, lá estava ela ajudando numa hora de mais pressa ou de uma certa indecisão quanto ao cardápio. 
Quando menina (faz tanto tempo...), meu pai gostava de levar-nos para comer pizza aos sábados a noite. E pensa que íamos assim, do jeitinho que estávamos em casa, como se costuma fazer hoje? Na, na, ni, na, não... Paramentávamo-nos todos! Meu pai envergava terno e gravata, minha mãe punha-se toda bonita e as crianças vestiam-se com capricho. Afinal, era um acontecimento. A pizza ainda era um prato especial e não muito comum, e costumávamos ir saborea-la num tradicional restaurante lá da Av. Rangel Pestana, esquina com a Rua Piratininga, onde eramos servidos por garçons muito bem postos, cheios de pose, porque afinal, sair para comer fora, naquele bairro, era um acontecimento. 
O tempo passou, a cidade metamorfoseou-se, internacionalizou-se, virou polo mundial de gastronomia, e a pizza consagrou-se como um dos pratos mais apreciados pela população. Não há quem não goste de uma fatiazinha de pizza, nem que seja de vez em quando...

As feitas em forno de lenha são imbatíveis...

Então, que seja este dia muito festejado pelos apreciadores de uma napolitana, calabresa, quatro-queijos, marguerita, à moda da casa, romeu e julieta, chocolate com morangos, maçã, etc... etc... etc... Bom apetite a todos!.

4 comentários:

Agulheta disse...

Dulce! É uma realidade,tem dias para tudo,não sabia do dia da pisa,pessoalmente gosto de vez em quando,tem lados que a fazem o maravilha.Só temos um senão agora só devemos comer a mesma de vez em quando,medo das gorduras.
Beijos para si.

Dulce disse...

Agulheta

Pois é, minha amiga, é preciso cautela com esse prato. Mas nem sempre conseguimos resistir... hehehe

Beijos e uma boa tarde para você

isa disse...

Boa noite,querida Amiga.
Engraçado como temos hábitos tão parecidos!Neste caso: arranjarmo-nos
para sair,até para comer uma deliciosa pizza!!!
Mantenho esses hábitos,acredite.
Como gosto desta "iguaria" que soma calorias...Mas,se ñ abusarmos?!
Amei o texto.
Chegou cá o cheirinho...
Beijo.
isa.

Beth/Lilás disse...

Dulce querida!
É mesmo,pizza é uma peça coringa para as donas de casa em apuros quando chega visita inesperada ou quando tem preguiça de pilotar fogão.
Gosto muito, mas não curto as doces.
E as melhores pizzas ao meu ver, são as nossas brasileiras, pois a pizza verdadeira, italiana, provei e não gostei, achei muito borrachuda, a farinha é diferente da nossa, aliás a farinha é de excelente qualidade, mas a massa pronta não é tanto. gosto mais da nossa.
beijos cariocas e boa pizza!