floquinhos

quarta-feira, 18 de julho de 2012

Os olhos das crianças...

Em meu coração cabem tantos poetas!... Hoje trago para vocês Jorge de Lima (União dos Palmares, AL, 23 de abril de 1893 - Rio de Janeiro, 15 de novembro de 1953). Foi político, médico, poeta, romancista, biógrafo, ensaísta, tradutor e pintor brasileiro. Inicialmente autor de belíssimos alexandrinos, transformou-se, posteriormente em um modernista.




Olhemos os olhos das crianças, que eles encerram mistérios;
dentro de suas pupilas moram selvagens bons,
pairam neles as lendas das terras desconhecidas.
Olhemos os olhos das crianças;
quando com eles cruzamos os nossos olhos,
há reconhecimentos súbitos
e reminiscências que revivem.
Que ausência de ouro e prata existe neles!
Que verde potros relincham em suas colinas!
Que indiferença pelas arcas ricas!
Como se parecem com os olhos dos poetas!
Olhemos os olhos das crianças,
desprevenidos de crimes e borrascas,
inconscientes entre o Bem e o Mal,
sempre transparentes como a água e o mel.
Olhemos os olhos das crianças,
com seus horizontes claros, claros,
capazes de deixar transparecer
o avô curvado e trêmulo,
o pai de sobrecasaca e a menina mãe.
Fitemos os olhos das crianças
como quem fita um écran
e vê desenrolar-se lá dentro
uma história familiar.
Olhemos os olhos das crianças
para repousar nestes céus sem pensamento
a angústia de procurar pátrias distantes
e as constelações que já morreram.


(Jorge de Lima)

6 comentários:

isa disse...

Que momento lindo!
Obrigada pela partilha!
Beijo.
isa.

Dulce disse...

Isa

Sou eu quem agradece, pela sua presença, pelo seu comentário.
Beijos e um bom dia para você.

Pitanga Doce disse...

Ai Dulce,as nossas crianças estão amadurecendo tão cedo...a toque de caixa! Por força da preservação. Poucos são os adultos que olham nos olhos, quando lhes falam.

Beijos em tarde de chuva e um pouco de frio. É que dizer para alguém em Sampa, que o Rio está frio...é uma piada. hehe

Maria Teresa disse...

Poetas e crianças, feliz comparação! Sorte dos que conservam esse olhar meio mágico pela vida afora.
Lindo, Dulce.
Beijo

Dulce disse...

Pitanga Doce

Pois é, minha amiga, nem todas as nossas crianças trazem hoje nos olhos a esperança e a inocência. Um reflexo dos tempos modernos, tão difíceis...

Menina, que frio!!! Como sempre passo esta temporada com a Angélica, já estava descostumado deste nosso friozinho... rs...

Beijos e bom final de semana para você

Dulce disse...

Maria Teresa

E está a cada dia mais dificil conservar essa magia, minha amiga...

Beijos e bom final de semana para você.