floquinhos

segunda-feira, 23 de abril de 2012

O melhor de um domingo cinzento...


E num domingo cinzento como o de ontem, tem coisa melhor para se fazer do que gastar um tempo numa livraria? É bom demais! Por isso, lá pela tardinha, meu filho e minha nora, que tinham passado o dia aqui em casa, tornaram irrecusável o convite para irmos todos até a Livraria Cultura lá no Shopping Villa Lobos.
E nem foi preciso andar muito entre suas imensas dependências para encontrar mais um livro de Drummond, uma nova edição de um livro do Eça, um livro que ainda não tinha do Mário de Andrade, uma biografia re-editada de Graciliano Ramos escrita por seu filho e um romance de um autor português que não conhecia, José Luis Peixoto... Que venham pois as tardes nevoentas de quase inverno; já tenho como enfrentá-las (ou quase);


E do livro de Drummond - As impurezas do branco - escolhi um poema para vocês, queridos amigos e leitores do Prosa:

AMOR E SEU TEMPO


Amor é privilégio de maduros
estendidos na mais estreita cama,
que se torna a mais larga e mais relvosa,
roçando, em cada poro, o céu do corpo.


É isto, amor: o ganho não previsto,
o prêmio subterrâneo e coruscante,
leitura de relâmpago cifrado, 
que, decifrado, nada mais existe


valendo a pena e o preço do terrestre,
salvo o minuto de ouro no relógio
minúsculo, vibrando no crepúsculo.


Amor é o que se aprende no limite,
depois de se arquivar toda a ciência
herdada, ouvida. Amor começa tarde.


(Carlos Drummond de Andrade)

6 comentários:

Paloma disse...

DULCE, também aqui hoje está um dia nevoente e num feriado absurdo,criado por um vereador qualquer. Dia de São Jorge. Todo o Estado do Rio de Janeiro parado.Não bastasse o feriado de sábado.
Também gosto muito de visitar Livrarias.

Beijos

Dulce disse...

Paloma

Pois é, minha amiga, o que não falta em nosso calendário é feriado.

Beijos e uma boa noite para você

Lourdes disse...

Olá Dulce
Penso estar de regresso após uma ausência forçada em que os postes do Açor estiveram a ser publicados de forma agendada. Nos últimos dias nem para ler havia tempo.
Quando os filhos se "vão abaixo" que pode fazer uma mãe se não ir em seu auxílio...
Depois deste desabafo, espero que tenha uma boa semana e que aproveite bem os excelentes livros que adquiriu.
Beijinhos
Lourdes

Beth/Lilás disse...

Bom dia, Dulce!
Realmente, um grande passeio, uma grande pedida, estar entre os livros numa tarde dessas, calma e antevendo a delícia do outono que chega.
um grande abraço carioca

Dulce disse...

Lourdes

Entendo bem isso, minha amiga. Quando os filhos precisam, as mães esquecem-se de si mesmas e só se acalmam quando eles voltam a estar bem.
Obrigada e uma boa semana para você também.
Beijos

Dulce disse...

Beth/lilás

É um dos passeios que sempre gostamos de fazer, em família, nas tardes de domingo. Cada qual vai para os setores que mais gosta e depois juntam-se para um lanche.É tão bom!

Beijos e linda tarde carioca para você