floquinhos

terça-feira, 13 de setembro de 2011

Sempre Fernando Pessoa...


Eu, eu mesmo...

Eu, eu mesmo... 
    Eu, cheio de todos os cansaços  
    Quantos o mundo pode dar. — 
    Eu... 
    Afinal tudo, porque tudo é eu, 
    E até as estrelas, ao que parece, 
    Me saíram da algibeira para deslumbrar crianças... 
    Que crianças não sei... 
    Eu... 
    Imperfeito?  Incógnito?  Divino? 
    Não sei... 
    Eu... 
    Tive um passado?  Sem dúvida... 
    Tenho um presente?  Sem dúvida... 
    Terei um futuro?  Sem dúvida... 
    Ainda que pare de aqui a pouco... 
    Mas eu, eu... 
    Eu sou eu, 
    Eu fico eu, 
    Eu...  



(Alvaro de Campos)

4 comentários:

Lua Nova disse...

Ele, ele mesmo é o melhor!
Bravo, Pessoa!
Gostei muito daqui, muito bom gosto, muita delicadeza e ótimos posts. Convido-a para visitar meu blog. Será um prazer recebê-la.
Beijokas e uma semana linda.
Seguindo...

Dulce disse...

Lua Nova

Obrigada! Gostei muito de recebe-la, também. Obrigada pelo convite, já aceito, para visitar seu blog. Pode aguardar, terei imenso prazer em visita-la.

Beijos e uma boa tarde para você.

Paloma disse...

DULCE, sempre que citam Fernando Pessoa, me vem a lembrança meu pai,porque,pouco antes de partir,ele se referiu a um pequeno recorte de jornal, onde se lia um poema de Fernando Pessoa.

Beijos

Dulce disse...

Paloma

Que lembrança mais linda, minha amiga... Seu pai citando Fernando Pessoa, deixando sempre algo bonito para você recordar...

Beijos e uma boa noite para você.